Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Baixe gratuitamente este estudo na versão PDF version, otimizada para seu leitor ebook/ tablet/ desktop ou smartphone Edição em PDF

Tiago 5:19-20: o irmão desviado

Lendo mais adiante, vamos a Tiago 5:19-20:

“Meus irmãos, se alguém dentre vós se desviar da verdade e alguém o converter, sabei que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.”

A frase “Se alguém entre vós se desviar da verdade”, torna claro que um irmão – e este texto refere-se aos irmãos: “Meus irmãos, se alguém entre vós...” – pode se desviar da verdade. O que isso significa? Ele pode errar nos ensinamentos e se desviar – como os Gálatas que queriam seguir a lei como meio de ser justificado – ou seguir práticas pecaminosas. Não falamos aqui de cometer pecado enquanto permanecemos andando pelo caminho certo (veja depois nossa discussão sobre 1 João). Mas na verdade estamos falando aqui de alguém que vagueia longe da verdade, que se desvia da luz e agora caminha na escuridão. Então é possível que “alguém entre nós” fuja da verdade? Infelizmente sim, é possível.

Agora, Tiago diz que: se um irmão traz de volta alguém que havia se desviado da verdade, ele “salvará da morte sua alma.” A passagem, falando da morte da alma, deixa clara que, se a pessoa não retorna, ele não receberá, no final, a vida eterna, mas exatamente o contrário. E isto, apesar do fato de que ela uma vez esteve no caminho correto. Esta mesma verdade encontramos também em algumas cartas. Aqui estão alguns trechos:

Romanos 8:13
“porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.”

Gálatas 6:7-8
“Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.”

Hebreus 10:26-27
“Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários.”

Colhemos vida eterna quando executamos a corrida da fé, semeando no espírito e na nova natureza. Paulo é muito claro: “quem semeia no Espírito do Espírito colherá a vida eterna.” Isso não significa que sejamos sem falta e nem pecado. Ninguém é. Mas eles são erros enquanto permanecemos na caminhada. Nos esforçamos para viver uma vida de retidão, e às vezes podemos ter alguns episódios de pecado aqui e ali. Mas eles são apenas isso, episódios. Não é algo que estejamos constantemente praticando. Se no entanto, vivemos essencialmente uma vida de pecado, cometemos obras de iniquidade, e vivemos - habitualmente e como uma forma de vida - segundo a carne, então colheremos o que semeamos e, como lemos, isto é “uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo” corrupção e morte. Agora, alguém pode perguntar: “mas porquê? A salvação não é por meio da fé?” É, mas vivenciar uma fé verdadeira e viver segundo a carne nunca andam juntos. Eles são igualmente exclusivos.

Próxima seção: "Alguns apostatarão da fé"

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou