Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Renda-se ao Senhor (PDF) Edição em PDF

Renda-se ao Senhor

Eu sei que há muitas vezes em que nós sentimos nossos corações sobrecarregados. Um sonho preso, uma pressão externa, uma ameaça ou outras coisas similares podem ter – se nós não as controlarmos adequadamente – um impacto negativo em nossas vidas. O fato de que sobrecargas e pressões podem, de fato, ser uma realidade na vida de um cristão, está evidente no fato de que Deus antecipou em Sua Palavra uma forma de encará-los. Esta é a forma que nós tentaremos apresentar hoje.

1. Deus. Aquele que sustenta

Para começar vamos até Salmos 55:22. Lá nós lemos:

Salmos 55:22
Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e Ele te susterá; não permitirá que o justo seja abalado".

A Palavra de Deus nos exorta a lançar nossos cuidados sobre o Senhor. Isto imediatamente nos diz duas coisas. Primeiro, a vida não será sem precauções, mesmo para os cristãos. Segundo, que a forma correta de encarar qualquer sobrecarga, pequena ou grande, é lançá-la sobre o Senhor. Isto também é confirmado por 1 Pedro 57, onde nós lemos:

1 Pedro 5:6-7
“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós

Deus nos sugere que lancemos toda a nossa ansiedade sobre Ele, porque conforme Ele diz, Ele cuida de nós. Provavelmente não é acidental a referência à humildade que precede esta passagem. Na verdade se requer humilhação negar que haja alguma coisa que nós possamos fazer e atirar todos os nossos cuidados sobre Deus, que, conforme nos dizem Romanos 8:32:

Romanos 8:32
"Aquele que nem mesmo a seu próprio filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

Também em Salmos 37:3-7 diz:
“Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará...... Descansa no Senhor, e espera nele."

e Provérbios 3:5-6
“Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, Ele endireitará as tuas veredas.”

Estas não são meras palavras, embora nós possamos tê-las lido muitas vezes. Em vez disso, elas são as palavras de Deus; promessas que demandam nossa atenção e crença. Não é uma questão de se nós temos a sabedoria e a habilidade de suportar nossas cargas. Em vez disso, é uma questão de se nós acreditamos Naquele que tem a sabedoria e as habilidades, o Deus todo poderoso, para carregar a carga por nós.

2. Mateus 6

Outro ensinamento da Palavra de Deus em relação a suportar os cuidados e preocupações é dado por Cristo em Mateus 6. Lá, começando do versículo 25, nós lemos:

Mateus 6:25-32
“Por isso vos digo: não andeis cuidados quanto à vossa vida; pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; e eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não nos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois INQUIETOS dizendo: Que comeremos, ou que beberemos? ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas.”

Veja que o texto não diz que nós não deveríamos pedir a Deus por nossas necessidades. De fato, parte da oração que o Senhor deu a seus discípulos (conhecida como “a oração do Senhor”) era sobre as necessidades físicas (“o pão nosso de cada dia nos dá hoje”, Mateus 6:11 ). Portanto o que Jesus quer dizer aqui não é para parar de pedir a Deus que supra as nossas necessidades, mas parar de se preocupar com elas. E ele continua a nos dizer o que nós devemos possuir:

Mateus 6:33-34
“MAS, buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”

A palavra “mas” no começo da passagem faz um contraste entre o que precede isso e o que segue isso. Ela nos diz portanto que em vez de dar nossa atenção às preocupações, nós devemos dá-la ao reino de Deus e à Sua justiça. Como resultado, todas as outras coisas que nós pudermos necessitar serão acrescentadas a nós. Conforme Cristo caracteristicamente respondeu ao diabo quando foi atentado:

Mateus 4:4
“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”.

Ainda que nós tivéssemos muita coisa mais, nós deveríamos ainda não ter vida, se a Palavra de Deus não estivesse em nosso coração. Isto, é claro, não significa que nós não necessitamos comer e beber ou que nós não devemos ter outras necessidades. Nós somente lemos que Deus sabe que nós necessitamos estas coisas. Contudo, nossa principal necessidade, de fato nossa única necessidade (veja Lucas 10:38-41) é a necessidade de ter a Palavra de Deus reinando em nossos corações. É isto que nós devemos buscar primeiro, e se nós fazemos isso então todas as outras coisas que nós provavelmente necessitamos serão acrescentadas a nós. Está prometido!

 

Alguns exemplos

A fim de entender melhor o lado prático do exposto acima, vamos dar uma olhada em dois exemplos (eles não são os únicos) dados na Bíblia.

3. Daniel na cova dos leões

O primeiro caso que nós examinaremos é o de Daniel. Daniel foi um daqueles Judeus que foram tornados cativos da Babilônia e que foi eventualmente colocado nas posições principais da hierarquia do reino. De fato, conforme lemos em Daniel 6:3 no tempo de Dario, o Medo, ele foi preferido entre todos do reinado dos governantes. Isto, por sua vez, causou a inveja de seus colegas que conspiraram contra ele, persuadindo o rei a emitir uma ordem que proibisse durante 30 dias que se perguntasse qualquer coisa a qualquer um outro além do rei (Daniel 6:4-8). A penalidade para aquele que desobedecesse este comando seria atirá-lo na cova dos leões. A razão porque a conspiração tomou esta forma não foi acidental. Conforme o versículo 5 nos diz, esta gente sabia que a única forma de realizar seu intento seria encontrando alguma coisa contra Daniel “em relação à lei de seu Deus”. Assim, sabendo do amor que Daniel tinha por Deus, eles colocaram-no em um dilema: ou ele pararia de pedir a Deus, conforme a ordem exigia, ou ele seria feito, conforme eles pensaram, de comida para os leões. Estes homens, portanto, tentaram através desta conspiração interferir no relacionamento entre Daniel e seu Deus. Ele agora tira uma escolha. Ou ele permitiria que esta pressão, esta ameaça, infectasse seu coração com ansiedade e medo, ou ele apostaria em Deus, deixando a amizade com Ele intacta e acreditando NELE durante todo o processo. O versículo 20 nos conta o que ele escolheu fazer:

Daniel 6:10
“Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa, (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.”

Daniel não somente continuou a orar a Deus, mas também fez como sempre: com suas janelas TOTALMENTE ABERTAS! Ele obviamente ignorou a ameaça, ou melhor, ele não tentou enfrentá-la com seus próprios meios, como por exemplo, fechando as janelas, ou tentando se tornar não visível, ou rezando em momentos em que não o veriam, de forma secreta, etc. Em contraste, ele continuou seu companheirismo com Deus como antes. Por outro lado, isto era exatamente o que seus inimigos desejavam. Conforme vimos, eles fizeram os seus planos com base em que Daniel não pararia de rezar e pedir a Deus, e ele então violou o comando do rei. Os versículos 11-16 nos contam o que estes homens então fizeram:

Daniel 6:11-16
“Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus. Então se apresentaram ao rei e, a respeito do edito real, disseram-lhe: Porventura não assinaste o edito, pelo qual todo o homem que fizesse uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem, por espaço de trinta dias, e não a ti, ó rei, fosse lançado na cova dos leões? Respondeu o rei, dizendo: Esta palavra é certa, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar.” Então responderam ao rei, Daniel, que é dos filhos dos cativos de Judá, não tem feito caso de ti, ó rei, nem do edito que assinaste, antes três vezes por dia faz a sua oração. Ouvindo então o rei essas palavras, ficou muito penalizado, e a favor de Daniel propôs dentro do seu coração livrá-lo; e até ao por do sol trabalhou para salvá-lo. Então aqueles homens foram juntos ao rei, e disseram-lhe, sabe, ó rei, que é a lei dos medos e dos persas que nenhum edito ou decreto, que o rei estabeleça, se pode mudar. Então, o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e lançaram-no na cova dos leões. E, falando o rei, disse a Daniel, “O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará”

Esses homens odiavam tanto Daniel que, a fim de retirá-lo de sua posição, eles ludibriaram até mesmo o rei. Quando o rei entendeu o que ocorrera, ficou muito triste, mas ele não podia fazer mais nada, uma vez que o edito era impossível de ser mudado. Contudo, ele fez alguma coisa mais importante: ele acreditou em Deus. Os versículos 17-33 nos dizer o que finalmente ocorreu:

Daniel 6:17-23
“E foi trazida uma pedra e posta sobre a boca da cova; e o rei a selou com o seu anel e com o anel dos seus senhores, para que não se mudasse a sentença acerca de Daniel. Então o rei se dirigiu para o seu palácio, e passou a noite em jejum, e não deixou trazer à sua presença instrumentos de música; e fugiu dele o sono. Pela manhã, ao romper do dia, levantou-se o rei, e foi com pressa à cova dos leões. E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? Então Daniel falou ao rei: O rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum. Então o rei muito se alegrou em si mesmo, e mandou tirar a Daniel da cova. Assim foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, PORQUE CRERA NO SEU DEUS.

Os últimos versículos nos dão o resultado para Daniel e a razão porque isso ocorreu. Assim o resultado foi que “nenhum dano se achou nele” e a razão foi que ele “crera no seu Deus”.

É tão fácil ler e passar rapidamente pelo citado acima, mas vamos nos colocar por um minuto na posição de Daniel. Ele e os outros homens da Bíblia não eram super-homens. eles eram homens iguais a nós, que tiveram a chance de acreditar ou não em Deus. São os nossos problemas e ameaças enfrentados maiores do que as ameaças que Daniel enfrentou? Ele poderia ter sido morto dentro de um minuto. “Naturalmente” falando, tão logo ele estava no fundo da cova ele estaria morto. Ainda, Daniel não olhou para sua situação “naturalmente”. Ele olhou SUPERnaturalmente. Conforme a passagem nos conta “ele acreditou em seu Deus”. ele acreditou em Deus. Ele poderia ter feito milhares de outras coisas. Ele poderia ter planejado milhares de formas para escapar da armadilha: ele poderia fechar as janelas, ele poderia se comprometer, ele poderia implorar ao rei. Contudo, em vez de todas essas coisas, Daniel escolheu ter fé em Deus. Quando ele foi conduzido à cova, “ele acreditou em seu Deus”. Quando eles o estavam atirando à cova, “ele crera em seu Deus”. O resultado? “Nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus”. A questão não é se haverá momentos difíceis, sobrecargas e preocupações que serão atiradas em nossos ombros, porque nós sabemos que haverá. Em vez disso, a questão é como nós os enfrentaremos? Nós os manteremos em nossos ombros ou nós os lançaremos até Deus? Nós creremos na habilidade e poder de Deus ou no nosso? Nós procuraremos uma solução naturalmente (“sou capaz", “tenho a sabedoria”), ou, sobrenaturalmente ("Deus é capaz", "Deus me dá sabedoria")?

4. O caso de Elias

Outro exemplo de enfrentamento de sobrecargas e preocupações e a habilidade de Deus de cuidar de nossas necessidades é dada em 1 Reis 17. No versículo 1, Elias fala com Acabe, rei de Israel:

1 Reis 17:1
“Então Elias, o Tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o Senhor Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra”.

Porque de todas as coisas ruins que ocorreram em Israel durante o reinado de Acabe, Deus não daria chuva por três anos e meio. Isto, é claro, significou penúria para Israel, na qual Elias também vivia. Havia portanto uma necessidade, a necessidade de comida e água, que “naturalmente” falando parecia que mais cedo ou mais tarde seria muito difícil para Elias encontrar. Deus sabia que Elias, seu homem, necessitava comer e beber, e o que Ele fez em relação a isso? Os versículos 2-6 nos dizem:

1 Reis 17:2-6
“Depois veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: Retira-te daqui, e vai para o oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão. E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem. Foi, pois, e fez conforme a palavra do Senhor; porque foi, e habitou junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão. E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro”.

Deus sabe as nossas necessidades, e, embora possa parecer naturalmente impossível que algumas delas sejam encontradas, Ele sabe cobri-las de outra maneira: de modo SOBRENATURAL. Quem realmente poderia imaginar como uma solução para as necessidades de alimento de Elias trar-lhe-iam o que ele necessitasse? E ainda, aqui está escrito diante de nossos olhos. Não não necessariamente esperamos a solução natural, mas a solução que vem de forma sobrenatural, de Deus, que pode fazer todas as coisas possíveis e impossíveis. Nós não esperamos somente quando parece que há soluções, mas também quando não há solução visível no horizonte. Conforme com Elias então conosco Deus sabe trazer soluções e responder às orações através de uma forma que suplanta o natural: ele sabe a FORMA SOBRENATURAL. Mas vamos continuar:

1 Reis 17:7-9
“E sucedeu que, passados dias, o ribeiro se secou, porque não tinha havido chuva na terra. Então veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente.”

O ribeiro está secando. A água se finda. A sede ameaça Elias. O que ele fez? Nada, até que Deus lhe desse sabedoria mostrando a ele SUA própria solução, a solução SOBRENATURAL , que ele ambém seguiu:

1 Reis 17:10-16
“Então ele se levantou, e foi a Sarepta; e, chegando à porta da cidade, eis que estava ali uma mulher viúva apanhando lenha; e ele a chamou, e lhe disse: Traze-me, peço-te, num vaso um pouco de água que beba. E, indo ela a trazê-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me agora também um bocado de pão na tua mão. Porém ela disse: Vive o Senhor teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui apanhei dois cavacos, e vou prepará-lo para mim e para o meu filho, para que o comamos, e morramos. E Elias lhe disse: Não temas, vai, faze conforme à tua palavra; porém faze dele primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois farás para ti e para teu filho. Porque assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra. E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias. Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do Senhor, que ele falara pelo ministério de Elias."

“Naturalmente” falando quem poderia imaginar tudo o dito acima? Ninguém! Tudo o dito acima é impossível. Embora isso seja impossível “naturalmente”. Não de modo SOBREnatural. Conforme disse o Senhor: “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus” (Lucas 18:27). Tudo é possível com Deus. A maior, verdadeiramente infinita, fonte de poder em todo o universo é nosso Deus. Não olhemos ao redor de nós procurando por soluções naturais. Não restrinjamos as formas possíveis através das quais Deus pode agir para somente aquilo que nós vemos ao redor de nós. Porque nós não podemos ver nada ao redor de nós ou ainda pior, nós podemos ver uma cova com leões ou fome e sede. Em contraste, vamos olhar para Ele, esperando por sua própria solução e conselho, ainda que pareça não haver solução alguma. Vamos comprometer nossa maneira com o Senhor, crer Nele e Ele o fará (Salmos 37:5). Nós não sabemos como Ele o fará, mas nós sabemos que Ele o fará, e isto é o suficiente para nos dar o repouso Nele ainda que quando tudo ao redor de nós não favorecer isto.

Anastasios Kioulachoglou.