Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus - o caso de José (PDF) Edição em PDF

Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus - o caso de José

Em Romanos 8:28 lemos:

Romanos 8:28
“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”

Neste artigo, eu gostaria de considerar a aplicação dessa passagem com um exemplo do Antigo Testamento: o exemplo de José.

1. Da terra de Canaã para o Egito

Para começar, vamos a Gênesis 37. Lá, a partir do versículo 3, lemos:

Gênesis 37:3-11
“E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente. Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais. E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho. Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras. E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim. E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai porém guardava este negócio no seu coração.”

Depois, em Gênesis 42, lemos o cumprimento dos sonhos de José sobre seus irmãos:

Gênesis 42:6,9
“... E os irmãos de José chegaram e inclinaram-se a ele, com o rosto em terra… então José lembrou-se dos sonhos que havia tido deles...”

Como fica evidente, os sonhos de José eram proféticos. Em outras palavras, estes eram os sonhos dados por Deus, através dos quais Ele lhe mostrou o que iria acontecer no futuro, na verdade muitos anos depois1. Embora a primeira vista nada possa parecer estranho no exemplo acima, torna-se estranho quando nos lembramos da reação negativa que esses sonhos tiveram sobre os irmãos de José. Na verdade, eles já o odiavam por causa do amor especial que seu pai tinha por ele e estes sonhos fizeram o ódio deles ainda mais forte. De fato, eles odiavam tanto José que pensaram até mesmo em matá-lo (Gênesis 37:18), mas depois finalmente decidiram por vendê-lo para alguns comerciantes que passavam a caminho do Egito:

Gênesis 37:25-28
“Depois assentaram-se a comer pão; e levantaram os seus olhos, e olharam, e eis que uma companhia de ismaelitas vinha de Gileade; e seus camelos traziam especiarias e bálsamo e mirra, e iam levá-los ao Egito. Então Judá disse aos seus irmãos: Que proveito haverá que matemos a nosso irmão e escondamos o seu sangue? Vinde e vendamo-lo a estes ismaelitas, e não seja nossa mão sobre ele; porque ele é nosso irmão, nossa carne. E seus irmãos obedeceram. Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito.”

O ódio dos irmãos de José, finalmente, os fez vendê-lo como um escravo para o Egito, longe de seu pai e sua família. O Senhor, porém, estava sempre com ele:

Gênesis 39:1-6
“E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o Senhor estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio. Vendo, pois, o seu senhor que o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo. E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.”

O Senhor estava com José, abençoando e estabelecendo tudo o que ele fazia na casa de Potifar. Vendo isso, seu mestre fez dele um supervisor de sua casa, passando a sua supervisão tudo o que ele tinha. No entanto, as coisas mais uma vez mudaram drasticamente:

Gênesis 39:6-15, 19-20
“E José era formoso de porte, e de semblante. E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem; ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? E aconteceu que, falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela, sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali; e ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora. E aconteceu que, vendo ela que deixara a sua roupa em sua mão, e fugira para fora, chamou aos homens de sua casa, e falou-lhes, dizendo: Vede, meu marido trouxe-nos um homem hebreu para escarnecer de nós; veio a mim para deitar-se comigo, e eu gritei com grande voz; e aconteceu que, ouvindo ele que eu levantava a minha voz e gritava, deixou a sua roupa comigo, e fugiu, e saiu para fora. E aconteceu que, ouvindo o seu senhor as palavras de sua mulher, que lhe falava, dizendo: Conforme a estas mesmas palavras me fez teu servo, a sua ira se acendeu. E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados.”

Assim que a estabilidade começou a voltar à vida de José, outra conspiração aconteceu contra ele que o colocou na prisão. No entanto, o Senhor estava com ele mesmo lá e mostrou-lhe misericórdia.

Gênesis 39:20-23
“E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere. O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor. E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali. E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava.”

O Senhor estava com José na prisão, exatamente como Ele estava com ele na casa de Potifar e na terra de Canaã. Ele estava com ele mostrando-lhe misericórdia e favor. No entanto, vamos por um momento nos colocar na posição de José. Ele foi expulso da casa de seu pai por causa do ódio de seus irmãos pelos sonhos que Deus lhe havia dado. Eles o venderam como escravo para o Egito, mas seu mestre, enganado por sua esposa, o colocou na prisão. Ele estava sozinho, escravo na prisão de um país que nunca tinha escolhido estar. Certamente, as coisas como estas não são o que alguém chama imediatamente de “bênçãos”. No entanto, o Senhor estava com ele. Ele estava com Ele e mostrou-lhe misericórdia. E na verdade, isto é o importante. Como José, pode ser que nós não entendamos por que estamos onde estamos e por que aconteceu o que aconteceu. Mas isto não é o importante. O que é o importante é que o Senhor esteja conosco. Como Ele disse, “todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que o amam” (Romanos 8:28). Se o amamos, todas as coisas contribuem juntamente para o bem, mesmo as coisas que não parecem “boas”, e até mesmo as coisas que nós não podemos compreender plenamente.

Voltando a José, os versículos 1-8 do capítulo 40 nos dizem:

Gênesis 40:1-8
“E aconteceu, depois destas coisas, que o copeiro do rei do Egito, e o seu padeiro, ofenderam o seu senhor, o rei do Egito. E indignou-se Faraó muito contra os seus dois oficiais, contra o copeiro-mor e contra o padeiro-mor. E entregou-os à prisão, na casa do capitão da guarda, na casa do cárcere, no lugar onde José estava preso. E o capitão da guarda pô-los a cargo de José, para que os servisse; e estiveram muitos dias na prisão. E ambos tiveram um sonho, cada um seu sonho, na mesma noite, cada um conforme a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam presos na casa do cárcere. E veio José a eles pela manhã, e olhou para eles, e viu que estavam perturbados. Então perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão hoje tristes os vossos semblantes? E eles lhe disseram: Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Contai-mo, peço-vos.”

“Não são de Deus as interpretações?” disse José, e realmente a Ele pertencem todas as interpretações. Assim, dois egípcios disseram a José seus sonhos e ele então deu-lhes a sua interpretação. Isso significa que esses sonhos tinham interpretação, ou seja, foram sonhos que vieram do Senhor (Ele foi o único que deu a interpretação). De acordo com essa interpretação, um dos dois oficiais seria executado enquanto o outro seria restaurado ao seu posto. José perguntou ao oficial que seria restaurado, para se lembrar dele e fazer menção dele ao Faraó:

Gênesis 40:14-15
“Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa; porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova.”

No entanto, assim que o copeiro-mor foi restaurado ao seu posto, ele se esqueceu dos apelos de José:

Gênesis 40:23
“O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.”

Resumindo o texto acima, a história de José é a história de um homem que não fazia mal e ainda foi perseguido. É a história de um homem que por um longo tempo estava vivendo uma vida com muitos "porquês" e poucas respostas. Mas o Senhor esteve sempre presente com ele. Seus irmãos o venderam como escravo ao Egito, porque eles o odiavam pelos sonhos que Deus lhe deu. Seu chefe no Egito o colocou na prisão, sendo enganado por sua esposa, embora a única coisa que José fez foi protegê-lo. O copeiro-mor, logo que foi restaurado à sua posição, esqueceu-se dele. É realmente difícil entender o bem de todas essas coisas e a razão pela qual elas aconteceram com esse homem devoto. No entanto, apesar da falta de entendimento, José tinha em Deus.

Ele não pecou na casa de Potifar porque ele temia a Deus. Ele corajosamente fez referência do Senhor para os dois egípcios e pelo Seu Espírito deu a interpretação de seus sonhos. Sua falta de entendimento não o obstruiu de confiar em Deus. Você também pode não entender a razão por que algumas coisas aconteceram a você, mas você também não deve permitir que a falta de entendimento se torne uma barreira para a sua fé: todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, e tenha certeza isso é tanto verdade para você, como veremos, foi para José.

2. José: da prisão para o palácio.

Seguindo em frente, o capítulo 41 nos conta outro sonho, visto desta vez por Faraó:

Gênesis 41:1-14
“E aconteceu que, ao fim de dois anos inteiros, Faraó sonhou, e eis que estava em pé junto ao rio. E eis que subiam do rio sete vacas, formosas à vista e gordas de carne, e pastavam no prado. E eis que subiam do rio após elas outras sete vacas, feias à vista e magras de carne; e paravam junto às outras vacas na praia do rio. E as vacas feias à vista e magras de carne, comiam as sete vacas formosas à vista e gordas. Então acordou Faraó. Depois dormiu e sonhou outra vez, e eis que brotavam de um mesmo pé sete espigas cheias e boas. E eis que sete espigas miúdas, e queimadas do vento oriental, brotavam após elas. E as espigas miúdas devoravam as sete espigas grandes e cheias. Então acordou Faraó, e eis que era um sonho. E aconteceu que pela manhã o seu espírito perturbou-se, e enviou e chamou todos os adivinhadores do Egito, e todos os seus sábios; e Faraó contou-lhes os seus sonhos, mas ninguém havia que lhos interpretasse. Então falou o copeiro-mor a Faraó, dizendo: Das minhas ofensas me lembro hoje: Estando Faraó muito indignado contra os seus servos, e pondo-me sob prisão na casa do capitão da guarda, a mim e ao padeiro-mor, então tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele; sonhamos, cada um conforme a interpretação do seu sonho. E estava ali conosco um jovem hebreu, servo do capitão da guarda, e contamos-lhe os nossos sonhos e ele no-los interpretou, a cada um conforme o seu sonho. E como ele nos interpretou, assim aconteceu; a mim me foi restituído o meu cargo, e ele foi enforcado. Então mandou Faraó chamar a José, e o fizeram sair logo do cárcere; e barbeou-se e mudou as suas roupas e apresentou-se a Faraó.”

Dois anos tiveram que passar para que o copeiro-mor finalmente se lembrasse de José. Alguém poderia perguntar: “Por que ele não se lembrou de José desde o início e 2 anos tiveram que se passar nos quais José permaneceu na prisão?” No entanto, a resposta é simples: porque essa era a vontade de Deus. Vivemos em uma época que exige que tudo seja feito rápido. Por outro lado, Deus quer que tudo seja feito da melhor forma e rápido não é necessariamente o melhor. Portanto, mais dois anos tiveram que passar com José na prisão até que o faraó recebeu os sonhos do Senhor. Como José disse depois, dando a interpretação, “o que Deus há de fazer, mostrou-o a Faraó” (Gênesis 41:25).

Foi o Senhor que escolheu aquele momento para dar esses sonhos ao Faraó. Agora, voltando um pouco, foi o Senhor que há dois anos tinha dado esses dois sonhos aos funcionários do Faraó e foi Ele que deu a eles as interpretações por meio de José. Foi o Senhor que levou José pra casa de Potifar e foi Ele que permitiu que as coisas acontecessem lá da forma como aconteceram para que, finalmente, o levassem para aquela prisão específica2. Foi o Senhor que deu aqueles dois sonhos a José que fizeram seus irmãos o odiá-lo tanto que eles o venderam para o Egito. Nós provavelmente já começamos a compreender pouco a pouco o plano de Deus e vamos entendê-lo ainda melhor à medida que lermos mais.

Então José, através do espírito do Senhor, explicou os sonhos ao Faraó. O Egito teria grandes colheitas por sete anos. Contudo, esse prazo seria seguido por sete anos de fome. José disse também ao Faraó como era para ele lidar com a situação. No final:

Gênesis 41:37-45
“E esta palavra foi boa aos olhos de Faraó, e aos olhos de todos os seus servos. E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus? Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu. Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu. Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito. E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pós na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço. E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pôs sobre toda a terra do Egito. E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito. E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.”

Dentro de alguns minutos, José foi transformado de um escravo prisioneiro em primeiro-ministro. Ele foi feito o segundo no comando sobre toda a terra do Egito! Isso não aconteceu gradualmente, mas muito rapidamente. Se você está agora em uma situação desagradável, em uma situação que você gostaria de se livrar, o Senhor pode te tirar disso. Ele pode fazer isso rapidamente, transformando as coisas de cabeça para baixo dentro de apenas alguns momentos. Como ele fará com o nosso arrebatamento para os céus, por exemplo. Isso acontecerá, diz a Palavra, “Num momento, num abrir e fechar de olhos” (I Coríntios 15:52). Você fecha os olhos e você está na terra, fazendo algo comum, que você provavelmente faz por anos. Depois de um momento, você abre seus olhos e você está no ar, juntamente com o Senhor Jesus Cristo e todos os santos! Só vai demorar um pouco! Deus tem o poder de fazer isso e ele vai fazer na hora certa.

Essa hora havia chegado para José. Ele passou por muitas coisas, mas o Senhor estava sempre com ele. As coisas que ele passou não aconteceram acidentalmente. Em vez disso, elas eram parte do plano do Senhor que finalmente levaram José diante ao Faraó. Removendo o final (e não vimos tudo), seria difícil para alguém entender como os eventos da vida de José trabalharam para o bem. O mesmo foi provavelmente verdade para José também. Sem ver o fim, ele era incapaz de entender, mas ele não foi incapaz de crer. Você pode ser fraco no entendimento, mas não seja fraco em crer ....... em crer que a Palavra diz por tudo que você pode viver hoje: ou seja, que se você ama Deus, todas as coisas contribuem juntamente para o bem, quer você entenda isso ou não.

Voltando a José, a sua ascensão ao segundo no comando do Egito, não foi o fim do plano de Deus. Quando os sete anos de fome vieram, isso também afetou a terra em que sua família morava:

Gênesis 41:56-57, 42:1-3, 6-9
“Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito. E de todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José; porquanto a fome prevaleceu em todas as terras. Vendo então Jacó que havia mantimento no Egito, disse a seus filhos: Por que estais olhando uns para os outros? Disse mais: Eis que tenho ouvido que há mantimentos no Egito; descei para lá, e comprai-nos dali, para que vivamos e não morramos. Então desceram os dez irmãos de José, para comprarem trigo no Egito... e os irmãos de José chegaram e inclinaram-se a ele, com o rosto em terra. E José, vendo os seus irmãos, conheceu-os; porém mostrou-se estranho para com eles, e falou-lhes asperamente, e disse-lhes: De onde vindes? E eles disseram: Da terra de Canaã, para comprarmos mantimento. José, pois, conheceu os seus irmãos; mas eles não o conheceram. Então José lembrou-se dos sonhos que havia tido deles e disse-lhes: Vós sois espias, e viestes para ver a nudez da terra.”

Muitos anos atrás, o Senhor tinha dado dois sonhos a José, onde seus irmãos estavam se curvando diante dele. Na verdade, foram esses sonhos que fizeram seus irmãos odiá-lo tanto que eles o venderam para o Egito. Desde então, foi só agora, no cumprimento desses sonhos, que eles se encontraram. No entanto, José não se fez conhecido por seus irmãos imediatamente. Em vez disso, ele fingiu que não os conhecia, acusando-os de espiões. Então, depois que ele manteve seus irmãos por três dias, ele os chamou novamente pedindo-lhes para ir e trazer Benjamin, enquanto ele manteria um dos irmãos no Egito até o retorno deles. Isso entristeceu seus irmãos e eles consideraram o que tinham feito com ele há muitos anos como a causa do que estava acontecendo agora. Assim, sem saber que estavam na frente de José, eles confessaram a culpa pelo que haviam feito a ele:

Gênesis 42:21-24
“Então disseram uns aos outros: Na verdade, somos culpados acerca de nosso irmão, pois vimos a angústia da sua alma, quando nos rogava; nós porém não ouvimos, por isso vem sobre nós esta angústia. E Rúben respondeu-lhes, dizendo: Não vo-lo dizia eu: Não pequeis contra o menino; mas não ouvistes; e vedes aqui, o seu sangue também é requerido. E eles não sabiam que José os entendia, porque havia intérprete entre eles. E retirou-se deles e chorou. Depois tornou a eles, e falou-lhes, e tomou a Simeão dentre eles, e amarrou-o perante os seus olhos.”

A última vez que José viu seus irmãos foi quando eles o venderam para o Egito, há muitos anos. A outra vez que os encontrou novamente foi no momento da realização dos sonhos pelos quais eles o haviam vendido e da confissão de culpa deles pelo que haviam feito a ele. Agora José sabia que seus irmãos haviam se arrependido: eles confessaram isso diante dele! Na verdade, como o Senhor organiza isso e mágoas e mal-entendidos de muitos anos podem ser curados em apenas alguns momentos!

Voltando a José, ele manteve Simeão, enquanto seus irmãos voltaram para Canaã para trazer Benjamin. Depois que eles o trouxeram, José lhes permitiu ir, apenas para trazê-los de volta rapidamente, acusando-os de que tinham roubado seu copo de prata que, no entanto ele mesmo escondeu intencionalmente no saco de Benjamim (Gênesis 44:2). Devido a isso, ele requereu que Benjamin ficasse como escravo no Egito. Ouvindo isto, os seus irmãos “prostraram-se diante dele em terra” implorando a ele por Benjamin (Gênesis 44:14-34). Então, nós lemos:

Gênesis 45:1-8
“Então José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou: Fazei sair daqui a todo o homem; e ninguém ficou com ele, quando José se deu a conhecer a seus irmãos. E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu. E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se; então disse ele: Eu sou José vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós. PORQUE já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem sega. Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito.

e Gênesis 50:20
Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, PARA FAZER como se vê neste dia, PARA conservar muita gente com vida.

No texto acima, eu capitalizei as palavras “porque”, “para fazer” e “para”. Estas palavras são palavras que introduzem respostas. São palavras que respondem a perguntas que começam com “por que”. Foi, portanto, tempo para respostas. Era hora para o plano de Deus, a respeito de José e sua missão no Egito, ser completamente revelado. Foi o mesmo plano que começou há muitos anos em Canaã, com os dois sonhos de José que o levou a ser odiado por seus irmãos que o venderam para o Egito. No entanto, seus irmãos e seus atos foram apenas ferramentas que Deus utilizou para fazer a Sua vontade acontecer. Foi Deus que enviou José para o Egito e não seus irmãos. Foi Deus que o colocou na casa de Potifar e lhe deu graça diante dele, e foi ele que o levou de lá para a prisão. Foi Deus que deu os dois sonhos aos funcionários do Faraó, assim como a interpretação deles através de José. Foi Deus que depois de dois anos deu os sonhos ao Faraó e que através do copeiro-mor levaram José para o palácio. Foi Deus que deu a interpretação para José e foi Ele quem o fez o segundo em comando no Egito. Foi Ele que trouxe os irmãos de José para se curvarem diante dele no Egito e confessarem sua culpa diante dele. Foi Ele que preservou toda a vida em Israel.

NNa verdade, Israel não deixou o Egito, mas só depois de séculos e com o modo que a Palavra de Deus descreve no livro de Êxodo. Deus tinha seus próprios planos para Israel e tudo o que aconteceu com José trabalhou para o bem, embora possa não ter parecido como tal desde o início e apesar de tudo o plano foi completamente revelado e compreendido somente depois de muitos anos.

Anastasios Kioulachoglou

 



Notas de Rodapé

1. Em Gênesis 37:2 José tinha 17 anos, enquanto em Gênesis 42:6, quando os sonhos se cumpriram, ele tinha provavelmente 39 (tinha 30 anos “quando se apresentou a Faraó” (Gênesis 41:46) e o ano que os seus irmãos foram pela segunda vez ao Egito foi o segundo ano da fome (Gênesis 45:6).

2. Esta prisão era a prisão que o “os presos do rei estavam encarcerados” (Gênesis 39:20) . É por isso que o padeiro e o copeiro do rei foram levados para lá.