"O caminho de Balaão"



Encontramos o registro de Balaão em Números 22-24. Israel, estando a caminho da terra prometida, acampou nas “campinas de Moabe, para além do Jordão, perto de Jericó” (Números 22:1). Isto fez Balaque, rei de Moabe, ficar com muito medo e ele enviou mensageiros a Petor - um lugar na Mesopotâmia, várias centenas de quilômetros de distância - para trazer Balaão. A tarefa que tinha para ele é dada em Números 22:5-6:

 

Números 22:5-6
“Um povo que saiu do Egito cobre a face da terra e se estabeleceu perto de mim. Venha agora lançar uma maldição contra ele, pois é forte demais para mim. Talvez então eu tenha condições de derrotá-lo e de expulsá-lo da terra. Pois sei que quem você abençoa é abençoado, e quem você amaldiçoa é amaldiçoado”

 

A Fama de Balaão foi que "aquele a quem ele abençoou foi abençoado e a quem aquele amaldiçoou foi amaldiçoado" (Números 22:06). Se alguém lê todo o registro de Números 22-24 vai descobrir que Balaão tinha inicialmente uma atitude piedosa. Quando os servos de Balaque se aproximaram dele, ele só prometeu-lhes que ele iria verificar o seu pedido com Deus. Quando Deus lhe disse para não ir com eles, ele obedientemente os mandou embora. Isto é o que um homem que anda no caminho certo faria e foi isso que Balaão também fez. Ele ia, obviamente, andar nesse caminho. Porém, Balaque prosseguiu ainda em enviar mais príncipes, e mais honrados do que os que já tinha enviado. O quais vieram a Balaão, e chegaram em sua casa prometendo-lhe grande honra e riquezas se ele amaldiçoasse esse povo. Um homem cujo coração seguia a Deus 100% não iria vacilar: ele mandaria embora novamente os príncipes, como Deus já havia deixado claro que era para ele não ir com eles. Mas Balaão não fez isso. Em vez disso, ele disse que iria verificar com Deus novamente. Embora isso ainda sendo bom e certamente não tão ruim, quanto ir com eles sem verificar com Deus primeiro, na verdade mostra um tipo de quebra, uma instabilidade, uma intenção de não mandar embora os representantes de Balaque e este ficar insatisfeito. Você súplica a Deus novamente apenas por algo que você ainda quer, e você não está bem resolvido com o que Ele lhe disse pela primeira vez. E é isso que aconteceu aqui. Balaão queria ir com eles, os presentes foram muitos e a honra foi demais para ele negar. Por outro lado, ele não queria desobedecer a Deus! Ele ficaria feliz se ele fosse lá, amaldiçoar Israel, obter as recompensas e também ficar bem com Deus - quase a mesma coisa, acontece conosco; às vezes: Eu quero fazer a minha vontade, assim Deus que irá mudar a sua, deixando-me fazer a minha e vamos estar bem! Deus vendo Balaão nesta fase, disse-lhe para ir, mas somente se os homens viessem chamá-lo novamente. No entanto, na manhã seguinte nós vimos acima, que sua jumenta estava pronta para a longa viagem! Ele não queria perder um segundo e não esperar por ninguém para chamá-lo! Como resultado, a ira de Deus foi despertada e Ele enviou o Seu anjo para ficar contra ele. Como Balaão teve sua vida salva, por sua jumenta, pois quando ela viu o anjo tentou evitá-lo. O anjo disse a Balaão para ir, mas para APENAS dizer a palavra que Deus iria falar com ele. Por que Deus disse a ele "somente a palavra que eu vou falar para você, é a que você vai falar" (Números 22:35)? Este foi um aviso a Balaão para não desviar da Sua palavra. Como veremos, ele não prestou atenção a isso totalmente. Balaão, portanto, foi e encontrou com Balaque. Apesar disso Balaque o levou a vários lugares que tornaria mais fácil para ele amaldiçoar Israel, Balaão se mantinha preso ao que Deus lhe havia dito e falou apenas a Sua palavra que foram apenas bênçãos para Israel. Balaque ficou muito chateado! Aqui está o que ele disse a Balaão depois, que pela 3ª vez, que ele abençoou Israel: "Eu te chamei para amaldiçoar os meus inimigos, e olha, você tem fartura e os abençoou três vezes! Agora, pois, fuja para o seu lugar. Eu disse que seria de grande honra para você, mas na verdade, o Senhor te privou desta honra.” (Números 24:10-11).

 

Balaão: Um exemplo a ser evitado

Ao que parece, Balaão tomou a posição de Deus. Ele apenas falou Sua palavra e quando ele foi com os príncipes de Balaque ele só disse o que Deus queria que ele dissesse. Ele não se afastou Dele. Pode-se até perguntar por que II Pedro 2:15, bem como outras passagens que veremos depois irão apresentá-lo como um exemplo a ser evitado. Claro que ele queria ir para Balaque e talvez ele tinha seus olhos sobre os presentes. No entanto, parece que ele não diverge do que Deus disse a ele e, finalmente, ele deixou o local de mãos vazias. Ele obedeceu a Deus, apesar do fato de que isso significava a perda dos presentes e recompensas prometidas a ele. Ou, não foi assim?

Balaão é mencionado como um exemplo a ser evitado em II Pedro, Judas e Apocalipse. Isto pode parecer injustificado pelos relatos que temos visto até agora, mas continuando, vamos descobrir o motivo:

 

Números 25:1-5, 9
“Agora, Israel permaneceu em Sitim, e o povo começara a cometer prostituição com mulheres moabitas. Elas [as mulheres de Moabe] convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses e o povo comeu e inclinou-se aos seus deuses. Assim Israel se juntou a Baal-Peor, a ira do Senhor se acendeu contra Israel. Então o Senhor disse a Moisés: "Toma todos os cabeças do povo e enforca os infratores perante o Senhor, diante do sol, e o ardor da ira do Senhor se retirará de Israel. Então Moisés disse aos juízes de Israel, "Cada um de vocês matem os seus homens que se juntaram a Baal-Peor...... E aqueles que morreram daquela praga foram 24.000."

 

Como é que isto aconteceu, como que as mulheres de Moabe sabiam como seduzir os israelitas? Como é que aconteceu, para que viessem e os fizessem cometer prostituição com elas, convidou-os para os seus sacrifícios e os fez se curvar aos seus falsos deuses? Deus estava descontente, a sua ira foi despertada e 24,000 israelitas perderam a vida na praga que se seguiram. Quem realmente concebeu estes planos perversos que trouxe tanta destruição para Israel? Números 31:15-16 e Apocalipse 2:14 nos dá a resposta:

 

Números 31:15-16
"e Moisés disse-lhes:" Deixaste viver todas as mulheres? Olha o que essas mulheres causaram aos filhos de Israel, por conselho de Balaão, a transgressão contra o Senhor no incidente de Peor, e houve a praga entre a congregação do Senhor "

 

em Apocalipse 2:14 (o Senhor Jesus está falando com o anjo da Igreja em Pérgamo)
"Mas eu tenho algumas coisas contra você, porque você tem lá os que seguem a doutrina de Balaão, que ensinou Balaque a pôr uma pedra de tropeço diante dos filhos de Israel, para comerem coisas sacrificadas aos ídolos, e se prostituírem."

 

O professor que ensinou Moabe como fazer Israel tropeçar foi Balaão. Nós já vimos como ele estava inclinado para presentes e honra. II Pedro 2:15-16 nos diz que amou-os:

 

II Pedro 2:15
"Eles deixaram o caminho certo e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, QUE AMOU O PRÊMIO DA INJUSTIÇA, mas que foi repreendido pela sua própria transgressão: um jumento mudo falando com uma voz de homem impediu a loucura do profeta ."

 

Até o momento de Números 24 Balaão era um profeta de Deus, um porta-voz de Deus. Ele estava caminhando no caminho certo. MAS não até o fim. Ele eventualmente deixou-o e extraviou-se, porque "ele amou o prêmio da injustiça". Ele começou bem, mas teve um fim terrível. Não é só importante se começar no caminho certo. Também é muito importante manter-se nele até o fim. Balaão começou bem, mas não continuou assim. Ele finalmente foi morto pelos israelitas quando assumiu Midiã1. No relato de sua morte (Josué 13:22), ele não é mais chamado de "profeta", mas "adivinho". Ele começou como um profeta, um porta-voz de Deus, mas terminou como adivinho, inimigo de Deus.

 

Balaão em 2 Pedro e Judas

Balaão passou de porta-voz de Deus a falso professor que fez o povo de Deus tropeçar (Apocalipse 2:14). Ele estava no caminho certo, mas abandonou-o e extraviou-se. Esta é provavelmente a razão pela qual ele é mencionado três vezes por diferentes escritores no Novo Testamento como um exemplo a ser evitado. Já vimos o relato relevante em Apocalipse e aqui estão os outros dois a partir de II Pedro e Judas:

 

II Pedro 2:16
"ELES abandonaram o caminho certo e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça, mas que foi repreendido pela sua própria transgressão: um jumento mudo falando com uma voz humana impediu a loucura do profeta ."

 

e Judas 11
"Ai deles! Porque prosseguiram no caminho de Caim, de ter executado avidamente no erro do prêmio de Balaão, e pereceram na revolta de Corá”

 

Ambos, II Pedro e Judas, referem-se àqueles que seguiram o caminho de Balaão. Quem são essas pessoas? O que elas fizeram? Elas têm qualquer semelhança com Balaão, e se sim qual é? Como poderia esta figura do Antigo Testamento se relacionar com a época de hoje da graça? Nós vamos encontrar a resposta nas Escrituras. A partir de II Pedro, a palavra "eles" remonta ao primeiro versículo, onde lemos:

 

II Pedro 2:1-3
"Mas houve também falsos profetas entre o povo, assim como haverá entre vós falsos mestres, que introduzirão encobertamente heresias destruidoras, até mesmo negar o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais o caminho da verdade será blasfemado. Pela cobiça farão de vós negócios com palavras fingidas; por um longo tempo o seu julgamento não terá sido ocioso, e a sua destruição não dormirá ".

 

Continuaremos com mais informação dada sobre os falsos mestres. Mas primeiro vamos deixar claro sua origem. Isso se torna evidente a partir dos versos 1, 15 e 20-21. Ali nós lemos:

 

II Pedro 2:1
"Mas houve também falsos profetas entre o povo, assim como haverá entre vós falsos mestres, que vão trazer secretamente destrutivas heresias, mesmo negar o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição."

 

II Pedro 2:15
"Eles abandonaram o caminho certo e se desviaram"

 

e II Pedro 2:20-21:
"Porque, se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, foram outra vez envolvidos nelas e vencidos, o fim último é pior para eles do que o começo. Por isso teria sido melhor para eles não terem conhecido o caminho da justiça do que, tendo conhecido, desviarem-se do santo mandamento que deles. "

 

Como é óbvio a partir de acima:

• Essas pessoas eram o povo que o Senhor tinha resgatado.

• Eram pessoas que tinham escapado das corrupções do mundo através do conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo2.

• Eles tinham conhecido o caminho da retidão e o mandamento santo foi entregue a eles3.

• Eles haviam abandonado o caminho certo, que por sua vez significa que eles tinham uma vez andando nele.

 

Os falsos mestres dos quais a Palavra de Deus fala aqui, portanto, não são crentes, mas descrentes, para ser mais preciso eram pessoas que tinham começado como crentes. Afinal de contas quem eram as pessoas compradas pelo Senhor, que tinham pleno conhecimento do Senhor e para quem o santo mandamento foi entregue? Como Balaão, eles começaram no caminho certo, mas o abandonaram e se viraram para os falsos mestres, trazendo heresias destrutivas e explorando o povo de Deus com palavras enganosas! Se pensarmos que a questão desses falsos mestres não é algo para ser dado muita atenção, afinal não temos visto muitos abertamente "negando o Senhor que os resgatou", estamos errados. Deus dedicou grande parte de II Pedro e quase toda a epístola de Judas falando sobre esses impostores. Esta é realmente uma questão onde a Palavra de Deus diz: "ATENÇÃO"!! II Timóteo 2:15 nos diz:

 

II Timóteo 2:15
"Procura apresentar-te a Deus, aprovado como obreiro que não precisa se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade."

 

É o nosso trabalho manejar bem a palavra da verdade, pois, sem uma base sólida sobre ela, será impossível de ser protegido pelos falsos mestres que estão ao redor. Retornando a II Pedro, os versículos 10-22 continuam sobre estes apóstatas:

 

II Pedro 2:10-22
“e, especialmente, aqueles que andam segundo a carne em concupiscências de imundice e desprezam a autoridade. Eles são presunçosos, obstinados. Eles não têm medo de não falar de dignitários, enquanto que os anjos, que são maiores em força e poder, não trazem uma acusação, uma injúria contra eles diante do Senhor. Mas estes, como animais irracionais feitos para serem capturados e destruídos, falam mal das coisas que eles não entendem, e vão perecer na sua corrupção, e receberão o salário da injustiça, como aqueles que têm prazer de festejar durante o dia. Eles são manchas e defeitos, orgias em seus enganos, quando se banqueteiam convosco, tendo os olhos cheios de adultério e não cessando de pecar, engodando as almas instáveis. Eles têm um coração treinado em práticas avarentas, e são filhos amaldiçoados. Eles abandonaram o caminho certo e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça, mas que foi repreendido pela sua própria transgressão: um jumento mudo falando com uma voz de homem impediu a loucura do profeta. Estes são fontes sem água, nuvens transportadas por uma tempestade, para os quais está reservado o negrume das trevas para sempre. Pois quando eles falaram palavras arrogantes de vaidade, fascinaram pelas concupiscências da carne, através de lascívia, aqueles que realmente escapavam, daqueles que viviam no erro. Enquanto eles prometiam liberdade, eles mesmos eram escravos da corrupção; pois por quem uma pessoa é vencido, dela também, se torna escravo. Porque, se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, foram outra vez envolvidos nelas e vencidos, o fim último é pior para eles do que o começo. Por isso teria sido melhor para eles não terem conhecido o caminho da justiça do que, tendo conhecido, desviarem-se do santo mandamento deles. Mas tem acontecido com eles de acordo com o provérbio verdadeiro: “O cão voltou ao seu próprio vômito” e, “uma porca, tendo se lavado, volta a chafurdar-se na lama.”

 

Deus dedica uma grande parte de II Pedro para descrever esses falsos mestres. Muitos deles estão lá fora hoje e muitos passaram ao longo dos séculos, usando o nome de Deus e de Cristo por sua própria causa, por poder, por dinheiro, por honra. Não é Cristo, cujo exemplo eles seguem, mas Balaão. II Pedro não deixa dúvidas para o seu fim. Como acabamos de ler:

 

• Eles trazem em si mesmos repentina destruição (II Pedro 2:1).

• Durante muito tempo o seu julgamento não será tardio, e a sua destruição não dormita (II Pedro 2:3).

• "Porque, se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, o último estado tornou-se pior para eles que o primeiro. Por isso teria sido melhor para eles não terem conhecido o caminho da justiça do que, tendo conhecido, desviarem-se do santo mandamento para eles. Mas tem acontecido com eles de acordo com o provérbio verdadeiro:

• "O cão voltou ao seu próprio vômito" e, "a porca lavada ao espojadouro de lama." (II Pedro 2:20-22)

• Para eles está reservada a negrura das trevas para sempre (II Pedro 2 : 17).

 

Não é a salvação que está reservada para essas pessoas, mas a "negritude das trevas para sempre". Mas "não é a salvação um dom dado por graça?", alguns dirão. Claro que é. É um presente dado pela graça mediante a fé (Efésios 2:8). Mas como é óbvio, algumas pessoas vão negar o Senhor - e, portanto, a fé - volta a ser sua inimiga, explorando seu povo e trazendo heresias destruidoras. Eles são realmente semelhantes a Balaão. Ele também estava no caminho certo, mas ele se desviou e passou de ser um profeta verdadeiro a um falso mestre que ensinou os inimigos de Deus como fazer o Seu povo tropeçar. Para essas pessoas "é reservado o negrume das trevas para sempre". De acordo com Pedro II "seria melhor para eles não terem conhecido o caminho da justiça do que ter conhecido a desviarem-se do santo mandamento deles" (2 Pedro 2:21).

 

Judas

Balaão também é mencionado em Judas, quase da mesma forma e contexto como em II Pedro. Judas começa sua epístola com o seguinte:

 

Judas 3
"Amados, sendo muito ansioso para escrever-lhe de nossa comum salvação, achei necessário escrever para vocês exortando-vos a batalhar pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos."

 

Judas queria através de sua epístola exortar os crentes a batalhar pela fé que de uma vez por todas foi entregue aos santos. Obviamente esta fé estava sob ataque. Esta fé está sob o ataque do inimigo e, enquanto ele está por perto, ele nunca vai deixar de atacá-lo. Temos que batalhar para essa fé e Judas continua a dar as razões em sua epístola de um capítulo:

 

Judas 4-19
“Para certos homens se introduziram com dissimulação, que há muito tempo estavam escritos para esta condenação, homens ímpios, que transformam a graça de nosso Deus em lascívia e negam o nosso único Soberano e Senhor Jesus Cristo. Mas eu quero lembrá-los, embora vocês já sabiam disso, que o Senhor, depois de ter salvo o povo da terra do Egito, destruiu depois os que não crêram. E os anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria morada, Ele tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia, como Sodoma e Gomorra, e as cidades ao seu redor de forma semelhante a estas, tendo-se entregue à imoralidade sexual e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. Também estes sonhadores contaminam a carne, rejeitam a autoridade, e falam mal dos dignitários. Mas o Arcanjo Miguel, em contenda com o diabo, quando ele disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou fazer contra ele uma acusação, uma injúria, mas disse: "O Senhor te repreenda!" Mas estes falam mal de tudo o que não sabem, e tudo o que naturalmente conhecem, como animais irracionais, nessas coisas se corrompem. Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. Estes são manchas em vossas festas de amor, quando se banqueteiam com você sem medo, servem apenas a si próprios. São nuvens sem água, levadas pelos ventos, árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, arrancadas pelas raízes; ondas bravias do mar, espumando as suas próprias torpezas, estrelas errantes, para os quais está reservado o negrume das trevas para sempre . Agora Enoque, o sétimo depois de Adão, profetizou sobre estes homens também, dizendo: "Eis que o Senhor vem com milhares de Seus santos", para executar juízo sobre todos, para condenar todos os que são ímpios de todas as suas obras de impiedade, cometeram em um caminho ímpio, e de todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas próprias cobiças, e eles tem na boca palavras arrogantes, lisonjas para ganhar vantagem. Mas vós, amados, lembrai as palavras que foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo: como eles lhe disseram que haveria escarnecedores nos últimos tempos que andavam de acordo com as suas ímpias concupiscências. Estas são pessoas sensuais, que causam divisões, não têm o Espírito."

 

Parece que estas são o mesmo tipo de pessoas, pelo menos tanto como o fruto que está preocupado, como aqueles que vimos em II Pedro. Eles são impostores que podem e até se atrevem em se chamarem cristãos. Por causa desses falsos mestres - e há muitos deles hoje ativos - Judas sentiu uma necessidade séria de escrever aos crentes para dizer-lhes para combater pela fé, de uma vez por todas entregue aos santos. Temos que lutar pela fé! É a Escritura - não doutrinas, ordenanças e tradições dos homens, quem quer que esses homens sejam - a base da nossa fé. Colossenses 2:8 nos adverte:

 

Colossenses 2:8
"Cuidado para que ninguém enganá-lo por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, de acordo com os princípios básicos do mundo, e não segundo Cristo".

 

também em II João 7-8
"Porque já muitos enganadores entraram no mundo que não confessam que Jesus Cristo veio em carne e osso. Este é o enganador e o anticristo. Olhai por vós mesmos, para que não perca as coisas que trabalhava, mas que pode receber plena recompensa."

 

Também Judas e Pedro nos dizem:

 

Judas 20-25
"Mas vós, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna."

 

II Pedro 3:14-18
"Vocês, portanto, amados, pois vocês sabem disso de antemão, guardai-vos para que vocês também não venham a cair de sua própria firmeza, sendo levados com o erro dos ímpios, mas crescerem na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, agora e para sempre. Amém ".

 

"Guardai-vos para que vocês também não venham a cair de sua própria firmeza, sendo levados com o erro dos ímpios". Todos nós podemos ser potencialmente "levados com o erro dos ímpios". Ninguém está isento desta advertência. Balaão começou no caminho certo, mas ele por fim o abandonou. "Mas crescerem na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo", Pedro continua. “Guardai-vos” é uma parte da ação, o crescimento na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo é o outro.

Há muitos impostores por aí, e até mesmo dentro do corpo de Cristo - é por isso que Pedro e Judas, dirigem-se aos crentes – e a única maneira de serem protegidos de seus ensinamentos enganosos é inclinar para o leite puro da Palavra. A única maneira de construir nossa casa para que ela não seja ultrapassada por qualquer coisa que possa vir contra ela, é construí-la sobre a rocha, que Jesus Cristo explicou; é ouvir a Palavra de Deus e fazê-la (Mateus 7:24-25). Balaão conhecia a palavra de Deus, ele realmente a seguiu até certo ponto, mas não depois que ele entrou em choque com seu desejo de honra e riqueza. Uma vez que isto aconteceu, ele se extraviou. Em contraste com ele, devemos seguir o caminho certo: o caminho do saber e a todo custo fazer a Palavra de Deus. Começar, correr e terminar a corrida, colhendo completamente e totalmente as recompensas que Deus tem para nós.

 

Hebreus 12:1
"Deixemos todo embaraço, e o pecado que tão facilmente nos enlaça, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da nossa fé, que para a alegria que foi definida perante Ele suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus."

 

Anastasios Kioulachoglou

 



Notas de Rodapé

1. Por essa época ele havia se mudado do seu lugar, na Mesopotâmia, e estava vivendo na terra de Midiã, juntamente com os inimigos de Israel.

2. A palavra "conhecimento" aqui é a palavra grega "επίγνωσις" (epignosis) que significa "conhecimento exato ou completo", "conhecimento preciso ou, ainda, com conhecimento aprofundado; verdadeiro conhecimento" (em oposição à palavra "gnosis", que significa simplesmente "conhecimento"). Ver Vines Expository Dictionary of New Testament Words, MacDonald Publishing Company, p.641 e The Companion Bible, Kregel Publications, Appendix 132.

3. Mais uma vez o verbo "saber" que é usado aqui é o verbo "επιγινώσκω" (epiginosko) que significa "saber muito bem", "conhecer a fundo e com precisão" (veja as referências dadas na nota 2)




 

“O caminho de Balaão” (PDF) Edição em PDF