Verdades Bíblicas
Inscreva-se

José: Um homem de paciência (PDF) Edição em PDF

José: Um homem de paciência

Em Tiago 5:10-11 lemos:

Tiago 5:10-11
“Meus irmãos, tomai, por exemplo, de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.”

Paciência é algo que necessitamos, especialmente nos momentos difíceis. “[Sede] pacientes na tribulação” (Romanos 12:12), diz a Palavra de Deus. Hoje eu gostaria de olhar esse tema da paciência, usando para este fim o exemplo de José, filho de Jacó.

1. José: na terra de Canaã

Em Gênesis 37:3-11 lemos:

Gênesis 37:3-11
"E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente. Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais. E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho. Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras. E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim. E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai, porém guardava este negócio no seu coração."

Jacó amava José mais que todos seus filhos. Isto, porém, causou inveja de seus irmãos. Como se não bastasse, José também teve dois sonhos nos quais ele aparecia reinando sobre sua família, o que aumentou ainda mais a inveja deles. Como veremos mais tarde, esta inveja custou muito caro a José.

Referente à origem desses sonhos, o fato é que Deus realizou todos eles, como veremos mais tarde. (Gênesis 42:9), mostra que foi Deus quem deu esses sonhos, em primeiro lugar. Provavelmente então, e vendo os problemas que esses sonhos causaram a José, a pergunta é Por quê? Por que Deus deu esses sonhos proféticos a José que só seriam concretizados muitos anos depois? Ele não sabia que iria enfurecer ainda mais os irmãos de José, até mesmo ao ponto de vendê-lo como escravo para o Egito? É claro que sabia. Não há nada desconhecido a Deus. Nada e ninguém pode pegar Deus de surpresa. Ele sabe tudo e vê além do que podemos ver. As coisas que José sofreu tinham seus propósitos, mesmo embora fossem difíceis de ver qualquer propósito no tempo que elas aconteceram. O fato de passarmos por tribulações e desconforto não significa necessariamente que estejamos caminhando fora dos desígnios e dos planos de Deus. Assim como com José também conosco, eu creio que as dificuldades têm seus propósitos e também penso que é assim com tudo que o Senhor coloca em nosso caminho. “todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28), diz a Palavra. Se você ama a Deus, TUDO concorre para o bem. Mesmo as dificuldades e até os sofrimentos. Você nem sempre precisa ter respostas para tudo para seguir adiante – como veremos que as respostas de José levaram muitos anos para serem respondidas e durante os anos outras perguntas surgiram. O que precisamos, portanto, é de fé – acreditar nos planos de Deus, mesmo que não consiga vê-los em sua totalidade. Como nos diz I Pedro 4:19 “Portanto também os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem.” Haverá momentos onde possamos sofrer e isto será “segundo a vontade de Deus”. Confiemos nossas almas no Senhor que é nosso fiel Criador. Ele sabe muito bem o que está fazendo.

2. De Canaã ao Egito

Voltando a José, se não questionou de imediato, por que Deus lhe deu aqueles sonhos, provavelmente ele o fez depois do que se seguiu. Seu pai lhe enviou a seus irmãos onde seus irmãos estavam pastando o rebanho. Mas eles....

Gênesis 37:18-28
“E viram-no de longe e, antes que chegasse a eles, conspiraram contra ele para o matarem. E disseram um ao outro: Eis lá vem o sonhador-mor! Vinde, pois, agora, e matemo-lo, e lancemo-lo numa destas covas, e diremos: Uma fera o comeu; e veremos que será dos seus sonhos. E ouvindo-o Rúben, livrou-o das suas mãos, e disse: Não lhe tiremos a vida. Também lhes disse Rúben: Não derrameis sangue; lançai-o nesta cova, que está no deserto, e não lanceis mãos nele; isto disse para livrá-lo das mãos deles e para torná-lo a seu pai. E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia. E tomaram-no, e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela. Depois assentaram-se a comer pão; e levantaram os seus olhos, e olharam, e eis que uma companhia de ismaelitas vinha de Gileade; e seus camelos traziam especiarias e bálsamo e mirra, e iam levá-los ao Egito. Então Judá disse aos seus irmãos: Que proveito haverá que matemos a nosso irmão e escondamos o seu sangue? Vinde e vendamo-lo a estes ismaelitas, e não seja nossa mão sobre ele; porque ele é nosso irmão, nossa carne. E seus irmãos obedeceram. Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito.”

A inveja dos irmãos de José fez com que eles o vendessem como escravo para o Egito. Paremos por um momento e coloquemo-nos no lugar de José: imagine as dúvidas que provavelmente ele teve. Em questão de minutos sua vida mudou drasticamente. Poucas horas antes ele estava em casa com seu Pai que o amava muito, enquanto agora estava indo como escravo para o Egito, vendido pelos próprios irmãos! Você acha que ele entendeu por que tudo aquilo estava acontecendo? Acho que não.

Assim como José, também nós não entenderíamos os motivos por trás dessas coisas. Sentir-nos-íamos confusos e lamentaríamos como Jó. Mas, permita-me dizer novamente: “TODAS as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28). Nós temos uma visão – e muito limitada – apenas do presente e do passado. Por outro lado Deus tem uma visão plena de tudo: passado, presente e futuro. Nossa visão é limitada e imperfeita. A visão de Deus é plena. A ligação entre nossa visão e a visão perfeita de Deus é a fé. Pela fé submetemos nossa visão imperfeita à visão perfeita do Senhor e deixar de seguir e agir apenas de acordo com nossas imperfeições. Em vez disso, confiamos na visão daquele em quem colocamos nossa fé: Deus. Quando nossa fé é testada temos a tendência de tirá-la de Deus e colocá-la em coisas mais palpáveis. Não tentemos responder incógnitas que surjam apenas com base naquilo que nossos olhos vêm. Certamente nos equivocaremos. Ao contrário, confiemos nossas almas “Àquele que é o Criador fiel” (1 Pedro 4:19). Ele sempre sabe o que faz, mesmo embora haja coisas que não compreendamos no momento.

3. José: Na casa do Potifar e então na prisão.

Voltando a José, versículos 1-6 do capítulo 39 diz o que aconteceu a seguir:

Gênesis 39:1-6
“E José foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o Senhor estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor egípcio. Vendo, pois, o seu senhor que o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pós sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo. E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia.”

O Senhor estava com José.” Não diz que o Senhor abandonou José durante suas tribulações em sua casa e só voltou agora. O Senhor estava com José, e Ele estava com ele desde o início. “Não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13:5), diz a Escritura. José, como você talvez, tinha ciência apenas do passado e do presente. Se ele olhasse para essa situação com olhos humanos apenas, ele se sentiria um miserável. Ele deveria até mesmo resignar sua vida. Contudo, ele não agiu assim, mesmo embora a vida estivesse indo em um caminho diferente do que esperava. Ao contrário, ele trabalhou para o Egípcio o qual colocou em seus ombros o encargo de tudo que possuía. José, embora não tivesse a resposta de todas suas perguntas, viveu sua vida, colocando seu coração nas mãos daquele que sabia todas as respostas.

Em relação à vida de José na casa do Potifar, alguém poderia dizer que sua vida começou a sorrir-lhe novamente. Ele tinha um bom trabalho: era o encarregado da propriedade do oficial do Faraó. Penso eu que era uma posição privilegiada para muitos egípcios, especialmente sendo José um estrangeiro. Contudo, as coisas mudaram repentinamente. Gênesis 39:6-20 nos diz.

Gênesis 39:6-15, 19-20
“E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante. E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pós os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem; Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? E aconteceu que, falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela, Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali; E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora. E aconteceu que, vendo ela que deixara a sua roupa em sua mão, e fugira para fora, Chamou aos homens de sua casa, e falou-lhes, dizendo: Vede, meu marido trouxe-nos um homem hebreu para escarnecer de nós; veio a mim para deitar-se comigo, e eu gritei com grande voz; E aconteceu que, ouvindo ele que eu levantava a minha voz e gritava, deixou a sua roupa comigo, e fugiu, e saiu para fora...E aconteceu que, ouvindo o seu senhor as palavras de sua mulher, que lhe falava, dizendo: Conforme a estas mesmas palavras me fez teu servo, a sua ira se acendeu. E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere.”

Embora José fosse um bom funcionário, ele foi de repente assediado pela esposa do Potifar e acabou na prisão. Ele não deu passo em falso do que sabia que era a vontade de Deus. Como ele disse a ela: “como, pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” Era Deus quem José temia. Não o homem. Embora o resultado tenha sido a prisão, a presença do Senhor o acompanhou lá também. Versículos 20-23 nos diz:

Gênesis 39:20-23
"E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere. O SENHOR, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor. E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali. E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava.”

Mas o Senhor estava com José…”e eu creio que o mesmo acontece com você. Mesmo embora você possa estar passando por uma situação difícil, o Senhor está lá. Talvez você tenha, como José, questionamentos que precisam ser respondidas. Você pode imaginar “Onde está Deus em tudo isto”? E a resposta é bem simples, curta e direta: com você.

Voltando a José, de responsável pela casa do Potifar a encarregado de toda prisão. Após algum tempo, no meio desses “convidados” onde estavam também dois oficiais do Faraó: o copeiro e o padeiro. Gênesis 40:5-8 nos diz:

Gênesis 40:5-8
“E ambos tiveram um sonho, cada um seu sonho, na mesma noite, cada um conforme a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam presos na casa do cárcere. E veio José a eles pela manhã, e olhou para eles, e viu que estavam perturbados. Então perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão hoje tristes os vossos semblantes? E eles lhe disseram: Tivemos um sonho, e ninguém há que o interprete. E José disse-lhes: Não são de Deus as interpretações? Contai-mo, peço-vos.”

“Não são de Deus as interpretações”? Claro que a Ele pertence toda interpretação, explicação ou resposta. Com este encorajamento os prisioneiros começaram a contar seus sonhos a José.

Gênesis 40:9-15
“Então contou o copeiro-mor o seu sonho a José, e disse-lhe: Eis que em meu sonho havia uma vide diante da minha face. E na vide três sarmentos, e brotando ela, a sua flor saía, e os seus cachos amadureciam em uvas; E o copo de Faraó estava na minha mão, e eu tomava as uvas, e as espremia no copo de Faraó, e dava o copo na mão de Faraó. Então disse-lhe José: Esta é a sua interpretação: Os três sarmentos são três dias; Dentro ainda de três dias Faraó levantará a tua cabeça, e te restaurará ao teu estado, e darás o copo de Faraó na sua mão, conforme o costume antigo, quando eras seu copeiro. Porém lembra-te de mim, quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa; Porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova."

Os sonhos dos dois oficiais (saltamos o sonho do padeiro) eram de Deus. O copeiro foi restituído em sua posição. José, sabendo disto, pediu-lhe para lembrar-se dele e mencionar seu caso ao Faraó. Então versículos 20-23 diz:

Gênesis 40:20-23
“E aconteceu ao terceiro dia, o dia do nascimento de Faraó, que fez um banquete a todos os seus servos; e levantou a cabeça do copeiro-mor, e a cabeça do padeiro-mor, no meio dos seus servos. E fez tornar o copeiro-mor ao seu ofício de copeiro, e este deu o copo na mão de Faraó. Mas ao padeiro-mor enforcou, como José havia interpretado. O copeiro-mor, porém, não se lembrou de José, antes se esqueceu dele.”

As coisas aconteceram exatamente como Deus disse por meio de José. Contudo, apesar do fato e do pedido de José o copeiro esqueceu-se dele. Quem sabe o que José estava pensando. Ele provavelmente tinha grande expectativa que os três dias se passassem e os sonhos se realizassem na esperança que o copeiro se lembrasse dele. Mas, ele o esqueceu. Alguém pode chamar isto de descuido, outro chamaria de ingratidão. Portanto, quem pode anunciar algo e torná-lo realidade se o Senhor não der a ordem? (lamentações 3:37) diz a palavra de Deus. Para o homem que segue o Senhor nada é acidental. Ao contrário, “TODAS as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus.” TODAS. Mesmo o descuido? Sim. Mesmo o fato de José ter sido colocado na prisão sem ter cometido nenhuma falta? Com certeza. “Mesmo a situação em que me encontro? Se você ama a Deus, sim. Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, e sinceramente eu creio que minha situação não é uma exceção deste “TODAS”.

4. José: no Palácio do Faraó

Algum tempo passou e agora foi a vez do Faraó ter um sonho que veio de Deus, e buscava sua interpretação. Foi então que o copeiro lembrou-se do jovem Hebreu que, anos atrás, tinha interpretado o sonho que ele e o padeiro tiveram. Imediatamente o Faraó mandou buscar José e Deus deu-lhe a interpretação do sonho: Egito passaria por 7 anos de abundância que se seguiriam por 7 anos de fome. O Faraó então teve um ato de sabedoria e nomeou alguém que assegurasse que o país usasse os recursos abundantes dos 7 primeiros anos para cobrir o período de escassez que viria a seguir. Então o Faraó disse a José:

Gênesis 41:37-44
“E esta palavra foi boa aos olhos de Faraó, e aos olhos de todos os seus servos. E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus? Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu. Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu. Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito. E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pós na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pós um colar de ouro no seu pescoço. E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pós sobre toda a terra do Egito. E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito.”

Assim como subitamente José foi enviado do exílio à prisão também, de repente, foi nomeado o segundo no comando de todo Egito. Apenas o Faraó lhe era superior. Sob a liderança de José o Egito foi capaz de economizar nos sete primeiros anos de fartura para suportarem os sete anos de fome. Mais ainda, Jacó, o Pai de José ao ouvir dizer que havia comida no Egito, enviou seus filhos para que comprassem um pouco. Capítulos 52-56 de Gênesis mostra quão maravilhosamente Deus organizou o reencontro de toda família de José no Egito.

5. José: os motivos

As coisas que lemos sobre José, especialmente o período de tribulação, não foi algo que durou apenas um ou dois meses. Na verdade passaram-se 13 anos desde que José fora vendido ao Egito até o tempo que ele se apresentou ao Faraó (veja Gênesis 37:2 e 41:46). O salmo 105:17-22 nos dá um resumo do que aconteceu a José como também seu significado.

Salmo 105:17-19
Mandou [DEUS] perante eles [o povo de Israel] um homem, José, que foi vendido por escravo; Cujos pés apertaram com grilhões; foi posto em ferros; Até ao tempo em que chegou a sua palavra; a palavra do Senhor o provou.“O Rei ordenou que o libertasse, o governante do povo o libertou. “Ele deu-lhe autoridade sobre todos os seus bens para instruir a seus príncipes e ensinar sabedoria a seus anciãos.”

Foi Deus quem enviou José ao Egito. “Ele o enviou”. Conforme o próprio José disse a seus irmãos após o reencontro:

Gênesis 45:7-8
Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus.”

E novamente Gênesis 50:19-20
“E José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus? Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar a vida de muita gente.”

Voltando ao salmo, Deus preparou um tempo para que “Sua palavra [referente a José] se cumprisse.” Até que a palavra de Deus o provou. Todas as coisas pelas quais José teve que passar não foram resultados de má sorte ou tristes circunstâncias, mas foram etapas que Deus organizou em Seu plano para ele. Estas foram provas que Deus planejou para que construir nele o que era necessário para o passo seguinte. Conforme Romanos 5:3-5 diz referente às tribulações:

Romanos 5:3-5
“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.”

e Tiago 1:2-4
“Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.”

Também Hebreus 10:36
Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa.”

Precisamos de paciência para fazer a vontade de Deus e, embora não gostemos, paciência é construída por meio de tribulações. Não há atalhos aqui. José não poderia chegar ao passo 3 [ser o segundo no comando no Egito e trazer a salvação a Israel] sem passar pelo passo 1 [ser odiado por seus irmãos e vendido como escravo ao Egito na casa do Potifar] e passo 2 [jogado injustamente na prisão]. Conforme o salmo 105 nos diz: “foi posto em ferros; Até ao tempo em que chegou a sua palavra.” Os planos de Deus para José era o passo 3 desde o princípio. Contudo Ele não conseguiria realizá-lo sem os passos 1 e 2, isto é, sem tribulações. Muitos de nós queremos ir ao passo 3 sem passar pelos passos iniciais. Queremos a ressurreição sem a crucificação. Queremos ser discípulos em carregar a cruz. Isto é simplesmente impossível. Se o filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo, “aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu” (Hebreus 5:8) achamos que podemos aprender de outro modo? Se a resposta for sim, então nos enganamos a nós mesmos.

Tribulações são etapas que nos elevam e são planejadas por Deus para nosso benefício. Como foi para José, também para nós elas são ferramentas que Deus planejou para construir em nós o que é necessário para darmos o passo seguinte que Ele deseja. Deus tem um plano e um propósito para nossas vidas e Ele quer que concretizemos esse propósito. Iremos nos submeter a Ele? Ninguém jamais irá ao passo 3, sem primeiro passar pelos passos 1 e 2. Ninguém aprenderá a obediência sem tribulações. Ninguém alcançará o propósito que Deus reservado para ele se não permitir que Deus construa (e remova) – por meio de tribulações – o que Ele julgar necessário.

6. Conclusão

Eu espero que o texto acima tenha deixado claro que tribulações não são necessariamente coisas planejadas para nosso mal. Ao contrário, para o homem que ama a Deus “todas as coisas contribuem juntamente para o bem” e com certeza isto inclui as provas e tribulações.

Se, contudo for um tempo onde perguntas parecem ser muitas e as respostas poucas. Não perca a coragem. Confie seu coração ao Senhor. Ele sabe que faz e o que Ele faz é certamente para o bem e Sua glória.

Anastasios Kioulachoglou