Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Jesus Cristo: O Redentor (PDF) Edição em PDF

Jesus Cristo: O Redentor

Embora muitas pessoas neste dia celebre o nascimento de Jesus Cristo - alguns a partir de uma motivação religiosa e outros por motivos comerciais - poucos são aqueles que têm um conhecimento adequado do propósito deste nascimento. Verdadeiramente, de acordo com a Palavra de Deus, Jesus Cristo nasceu desde o início tendo uma missão específica, que foi para pagar com sua vida pela remissão dos nossos pecados. Como o anjo disse a José, quando Jesus ainda estava no ventre de Maria:

Mateus 1:21
"E ela [Maria] dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus: Porque ele salvará o seu povo dos seus pecados."

"Jesus" em hebraico significa "o Senhor (Jeová em hebraico) é a nossa salvação", e realmente foi através do Senhor Jesus Cristo , que o Senhor, traria salvação para o povo e os salvaria de seus pecados. Como a Palavra diz comentando a sugestão de Caifás, o sumo sacerdote dos judeus, ao crucificar Jesus:

João 11:50-52
"[Caifás falando] Nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação. Ora ele não disse isto de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos."

Jesus Cristo nasceu para morrer por todos nós, e alguns dos efeitos desta morte iremos analisar neste artigo.

1. Jesus Cristo: o redentor pelos nossos pecados

Uma das coisas que muitas vezes são referidas como resultado da morte de Jesus é a redenção. "Redenção" é um trabalho que pressupõe a existência de um alguém que seja redentor, isto é, que faz o resgate disponível, bem como paga pelo resgate. Para descobrir de que foi que Jesus Cristo nos redimiu, bem como qual foi o resgate que ele pagou, iremos para Tito 2:14. Ali nós lemos:

Tito 2:14
"Que [Jesus] deu a si mesmo por nós, para que pudesse nos resgatar de toda iniqüidade"

Jesus Cristo nos redimiu de toda a iniqüidade, e o alcançou, dando a si mesmo por nós. Em outras palavras, ELE foi o resgate para nossa redenção de "toda a iniqüidade". Como ele disse em Mateus 20:28:

Mateus 20:28
"Assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos."

Jesus veio "para servir e dar sua vida em resgate por muitos". E tão grande como foi o resgate pago por nós quanto grande foi também a redenção obtida. Realmente, Hebreus 9:11-12 falando dessa redenção nos diz:

Hebreus 9:11-12
"Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.”

Os sacerdotes da lei ofereciam bezerros e bodes através dos quais eles se esforçavam para obter a remissão dos pecados. Como veremos mais tarde, o que estavam fazendo era inadequado. Em contraste, Jesus apresentou a Deus o seu próprio sangue pelo qual ele obteve eterna redenção para nós. Como Efésios 1:7 e Colossenses 1:14 também diz:

Efésios 1:7
"nele [Jesus] temos a redenção pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua [de Deus] graça;"

Colossenses 1:14
"Em quem [Jesus] temos a redenção pelo seu sangue, a remissão dos pecados;"

A redenção não está em nossas boas obras e comportamento. Não é em nossa devoção religiosa. Não está em nossas aquisições materias e valor pessoal. Em vez disso, está em Jesus. E é uma redenção " segundo as riquezas da graça de Deus", isto é uma redenção abundante, completa e eterna, como lemos.

2. Jesus Cristo: nosso redentor do pecado de Adão

Como foi mencionado na última seção, Jesus Cristo foi o resgate que foi pago por todos os nossos pecados, por "TODA iniquidade", como diz Tito 2:14. No entanto, deve ficar claro que a nesta "TODA", além dos pecados que alguém comete durante a sua vida, está também incluído o pecado que Adão cometeu com sua queda, e que passa de geração em geração a todos os homens, tornando-os pecadores desde o momento em que nascem. Realmente, como Romanos 5:18-19 nos diz:

Romanos 5:18-19
"Pois assim como por uma só ofensa [Adão] veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça [Jesus Cristo] veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem [Adão], muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um [ Jesus ] muitos serão feitos justos.”

A desobediência de Adão não custou apenas sua própria queda1, mas também fez todos aqueles que nasceram depois dele pecadores, embora que eles próprios não tenham cometido pecado. Assim, não há homem que possa dizer que não precisa de redenção, pois mesmo na hipotética [no entanto, apenas no caso hipotético2 de que ele não tivesse feito algo errado], ainda existe o pecado de Adão que faz dele um pecador desde a época de seu nascimento. Obviamente, a nossa redenção seria completamente inadequada, se não incluir o pecado de Adão. Assim, Jesus Cristo também tinha que nos redimir do pecado de Adão também. E foi isso que ele fez. Como Romanos 5:19 nos disse:

Romanos 5:19
"como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um homem [Jesus] muitos serão feitos justos."

Embora o pecado de Adão passe de geração em geração, infectando todos os homens, através da obediência e sacrifício do Senhor Jesus, todos nós podemos nos livrar não só deste pecado, mas também de todos os outros pecados que pode ter contaminado nossas vidas. Como lemos em Tito 2:14:

Tito 2:14
"Que [Jesus] deu a si mesmo por nós, para que pudesse nos resgatar de toda iniqüidade."

Quando diz toda a iniqüidade significa toda a iniqüidade, obviamente, incluindo o pecado de Adão. Hoje, quando alguém nasce, ainda nasce um pecador. No entanto, agora há uma maneira de sair desta situação e esta maneira é acreditando no Senhor Jesus. Realmente, como Atos 10:43 nos diz:

Atos 10:43
"A este [Jesus] dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome.”

É tão simples: você acredita em Jesus Cristo e todos os seus pecados estão perdoados. No entanto, custou muito para ser obtida. Custou o sangue precioso do Filho unigênito de Deus.

Para concluir, portanto, embora no primeiro nascimento tenhamos nascido pecadores, no segundo nascimento, o nascimento de cima (ver João 3:3-8), que ocorre no momento em que cremos no Senhor Jesus e na sua ressurreição, nós somos re-nascidos pura e totalmente, já que o crer que é responsável por este segundo nascimento, nos purifica de todo pecado.

3. Jesus Cristo: o sacrifício perfeito

Tendo visto que o sacrifício de Jesus nos redimiu de todo pecado, alguém pode perguntar qual era então o papel dos vários sacrifícios e ofertas registrados na lei3, e que visava o perdão dos pecados para os quais foram oferecidos? Antes de dizer qualquer coisa sobre o valor dos sacrifícios, deve ficar claro que não havia nada previsto na lei, para o perdão do pecado de Adão. Nada foi capaz de ajudar o homem a se livrar dele. Assim, as pessoas nasciam pecadoras e permaneciam pecadoras mesmo que tivessem oferecido todos os sacrifícios da lei para os vários pecados gravados lá. Esta situação alterou-se apenas com o sacrifício de Jesus depois do qual, embora ainda estejamos nascendo pecadores, podemos ser limpos do pecado e isso de fato de todos os pecados, crendo em Cristo.

Agora, deixando de lado o pecado de Adão, e retornando para os sacrifícios e ofertas pelos pecados escrito na lei, os quais a Palavra de Deus caracteriza como inadequados. Realmente, em Hebreus 10:1-4, lemos:

Hebreus 10:1-4
"Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado. Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados."

Como o último verso da passagem acima deixa claro, os sacrifícios de animais que a lei previa para a remissão dos pecados, não foram suficientes para este trabalho, pois como ele diz "não é possível que o sangue de touros e de bodes tire pecados ". E Hebreus 9:22 nos diz:

Hebreus 9:22
"sem derramamento de sangue não há remissão."

É óbvio que outro sangue era necessário para ser derramado para a remissão verdadeira. Que sangue foi esse? O sangue de Jesus Cristo. Verdadeiramente em Hebreus 10:6-12, lemos:

Hebreus 10:10-12
"Na qual vontade [ver versos 5 – 9 para o contexto] temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus; ”

Jesus Cristo lidou com o problema do pecado de uma vez por todas. Em contraste com os sacerdotes que repetidamente ofereciam os mesmos sacrifícios "que nunca podiam tirar os pecados", o seu sacrifício pelos pecados foi um pelo qual ele obteve "eterna redenção" (Hebreus 9:12). É por isso que agora não há necessidade de outros sacrifícios como também Hebreus 10:18 muito claramente nos diz:

Hebreus 10:18
"Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado."

Esta passagem não diz que não há mais pecado. O que ele diz é que não há mais oferta pelo pecado. E isto porque a oferta de Jesus Cristo tem poder eterno contra o pecado. Não só contra os pecados que cometemos como incrédulos ou contra o pecado de Adão, mas também contra os pecados que tenha cometido depois que nos tornamos cristãos. Esses pecados são também perdoados por meio do poder redentor do sangue de Jesus. 1 João 1:7-9 diz:

1 João 1:7-9
"Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça."

O sangue de Jesus é o único remédio que pode curar-nos da doença do pecado. A lei ordenou um sacrifício por um pecado, outro sacrifício diferente para outro pecado e assim por diante. E ainda todos estes sacrifícios não poderiam curar o problema do pecado. No entanto, o que a lei não poderia obter, Jesus Cristo obteve sacrificando-se. Agora, todo mundo que acredita nele é lavado de todos os seus pecados. Como Apocalipse 1:5 nos diz:

Apocalipse 1:5
"E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados."

Jesus Cristo nos lavou dos nossos pecados em seu próprio sangue. Foi ele que fez o trabalho. Nem sequer diz que nos lavamos a nós mesmos. Ele fez tudo. E fê-lo completamente, sem necessidade de algo mais.

4. Jesus Cristo: a nossa reconciliação com Deus

Tendo visto que o sacrifício de Jesus nos deu a remissão dos pecados, vamos agora avançar para ver outra coisa que também nos deu, através desta remissão. O que foi isso? Nossa reconciliação com Deus. Realmente embora antes do sacrifício de Jesus fôssemos pecadores e, portanto, inimigos de Deus, depois de seu sacrifício e nossa fé nele, fomos redimidos e lavados de todos os nossos pecados. Isso nos fez justos e nos reconciliou com Deus. Como Romanos 5:6-10 nos diz:

Romanos 5:6-10
"Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida."

Jesus Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores e inimigos de Deus. Com sua morte, ele nos reconciliou com Deus, por sua morte pagou por todos os nossos pecados e nos transformou, quando no princípio cremos, de pecadores a justos. I Pedro 3:18 como também diz:

I Pedro 3:18
"Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;"

Jesus Cristo, o justo, sofreu por todos nós, os injustos, e com seu sacrifício, trouxe-nos a Deus. Agora, se Cristo trouxe-nos a Deus, nós ainda precisamo ser trazidos a Ele? Não, pois Cristo já fez isso! Como cristãos, não estamos mais longe de Deus nem precisamos mais ser trazidos a ele. Em vez disso, somos reconciliados com Deus. E não fomos nós que tornamos isso possível, mas Jesus. Como diz o texto: "Ele sofreu .... para que Ele possa nos conduzir a Deus". Além disso, Colossenses 1:19-23 acrescenta:

Colossenses 1:19-23
"Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou. No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis; Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro."

Estamos agora alienados e somos inimigos de Deus? Estamos agora desconhecido a Ele? Não. Nós "éramos estranhos e inimigos". Não somos agora. Pois, "agora ele [Deus] nos reconciliou no corpo de sua [de Jesus] carne, pela a morte [Jesus]". Como Efésios 2:19 diz:

Efésios 2:19
"Agora, pois, não sois estranhos e estrangeiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus;"

5. Conclusão

Neste artigo examinamos alguns dos efeitos do sacrifício de Jesus, dando ênfase especial para a remissão dos pecados, que foi obtido através dele. Como vimos, por sua morte Jesus nos redimiu de todo pecado, o pecado de Adão incluído, reconciliando-nos com Deus. Portanto, hoje não somos nem pecadores, nem estranhos, nem inimigos de Deus. Em contraste, estamos, salvos, justos, santificados e reconciliados com Deus, e tudo isso não porque fizemos alguma coisa, mas porque Jesus Cristo, nosso redentor fez, dando a si mesmo em resgate por todos nós. Concluindo este artigo, portanto, vamos manter em mente as palavras de I Pedro 1:18-19 que diz:

I Pedro 1:18-19
""sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado."

Anastasios Kioulachoglou

 



Notas de Rodapé

1. Para mais sobre o que aconteceu na queda, veja o artigo: “Corpo, alma e espírito”.

2. Como João 1: 10 nos diz; “Se dizemos que não temos pecado, nós O fazemos mentiroso, e Sua palavra não está em nós.”

3. Veja por exemplo: Êxodus, Levíticos, Deuteronômio e Números.