Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Baixe gratuitamente este estudo na versão PDF version, otimizada para seu leitor ebook/ tablet/ desktop ou smartphone Edição em PDF

Hebreus 6:4-9 – Aqueles que se fizeram participantes do Espírito Santo e depois decaíram

Continuando em Hebreus lemos:

Hebreus 6:4-9
“Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; visto que, quanto a eles, estão crucificando de novo o Filho de Deus, e o expondo ao vitupério. Pois a terra que embebe a chuva, que cai muitas vezes sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção da parte de Deus; mas se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada. Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e que acompanham a salvação, ainda que assim falamos.”

Três perguntas que alguém possa fazer referente a esta passagem :

i) esta passagem fala de crentes? Eu acredito que isto é óbvio, porque fala de pessoas que “provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro.” Podem incrédulos ou impostores – que enganam aos outros mas não a Deus – serem por exemplo participantes do Espírito Santo? Não, eles não podem. Está claro que esta passagem é endereçada a crentes.

ii) Esta passagem sugere que tais pessoas que “uma vez foram iluminadas e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro” possam cair, desistir? Sim, é exatamente isto que o texto diz.

iii) O que vai acontecer àqueles que caírem? O fim deles se assemelha ao fim da terra que “produz espinhos e abrolhos, e é rejeitada e perto está da maldição, cujo fim é ser queimada.

Esta portanto, é outra forte advertência para todos nós que estamos começando, ou para aqueles que já começaram a sua carreira na fé: começar a carreira é uma grande coisa. Mas precisamos corrê-la até o fim. Cair na fé, abandonar a corrida, abandonar Cristo, a videira, é algo que nenhum de nós

Agora, a passagem deixa claro que é impossível “para os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez renovados o arrependimento.” Em outras palavras, não há meio de retorno para estas pessoas. E a razão para isto é dada na seguinte passagem:

“visto que, quanto a eles, estão crucificando de novo o Filho de Deus, e o expondo ao vitupério.”

É minha opinião que a maioria dos casos de retrocesso pode ser perdoada, quando há um verdadeiro arrependimento e retorno. No entanto, este caso é algo diferente. “É impossível” a passagem diz, que estas pessoas sejam renovadas para o arrependimento. E não diria que compreendi 100% as razões contida no texto e não queria dizer coisas que o texto não diz claramente. Porém, o que o texto diz claramente é que seus atos seriam iguais a crucificar o Senhor e expô-lo à vergonha. Em outras palavras, não seria apenas como se eles participassem da crucificação com seus atos, mas também demonstraria que o Cristo merecia ser crucificado. E isto não aconteceria na ignorância, mas por pessoas que tinham conhecido o Senhor e a Sua bondade1. Em minha opinião não temos aqui um “simples” desviar de caminho, mas uma negação pública, uma rejeição aberta do Cristo pela pessoa que, “foi iluminada, provou dos dons celestiais, teve parte com o Espírito Santo, provou a boa nova de Deus e o poder do tempo que há de vir.” Para tal comportamento não é arrependimento.

Talvez a renúncia pública de Cristo seja algo de difícil compreensão de seus motivos para nós que vivemos na “segurança” e sem nenhuma perseguição particular da sociedade ocidental. Mas não era assim no primeiros séculos depois de Cristo. O Cristianismo era uma religião ilegal e era punido com a mortes, torturas e confiscos. A renúncia pública e o retorno à religião legal (como paganismo ou mesmo judaísmo) era apresentado pelos perseguidores como a solução dos “problemas” deles. Especialmente para aqueles com raízes judaicas, como Hebreus crentes, que eram os destinatários originais da epístola, o retorno para a sinagoga e o judaísmo familiar parecem ter sido alguns apelos. Portanto, tal retorno exigia uma renúncia pública de Cristo em frente a Sinagoga, além de expô-lo ao vexame2. Talvez seja por isso que o autor toma especial ênfase em avisar ao seu público contra algo como isto, deixando claro as consequências.

Fechando esta advertência bastante dura, nós encontramos palavras encorajadoras no versículo 9:

“Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e que acompanham a salvação, ainda que assim falamos.”

E finalmente, segundo as palavras de John Wesley: “Nós estamos persuadidos que agora vocês estão salvos dos seus pecados; e que vocês tem fé, amor, santidade, que os levarão a salvação final. Contudo, assim falamos, para adverti-los, a fim de que vocês não caiam de sua presente lealdade.”

Próxima seção: Hebreus 10:23-29, 35-39: se voluntariamente continuarmos no pecado, se todos recuarem.

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou



Notas de Rodapé

1.Aqueles que originalmente crucificaram o Senhor, clamando na frente de Pilatos: "Crucifica-o, crucifica-o", o fizeram na ignorância (Atos 3: 14-21). A porta de arrependimento estava aberto para eles. Mas aqueles de Hebreus 6 são outra coisa. Estes que rejeitaram o Senhor, não o fizeram por ignorância, mas com pleno conhecimento e só depois que eles "foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro.

2.Para saber mais sobre os Hebreus ver: David Pawson, „Unlocking the Bible”, Harper Collins Publishers, 2003, pp. 1115-1118 e Roger Hahn, o livro de Hebreus Lição 1, encontrados on-line aqui: http://www.crivoice.org/biblestudy/bbheb1.html