Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Baixe gratuitamente este estudo na versão PDF version, otimizada para seu leitor ebook/ tablet/ desktop ou smartphone Edição em PDF

Gálatas 5:2-4 "Separados estais de Cristo"

Na Epístola aos Gálatas, Paulo lida com a questão de lei e da graça e o fato de que nós somos salvos pela graça, pelo favor imerecido de Deus, sem que para tanto fossem necessárias as obras da lei. Ele dizia isto porque alguns estavam ensinando aos Gálatas que eles tinham que manter a lei e até mesmo que tinham que ser circuncidados. Como dissemos anteriormente, existem em linhas gerais, dois grupos de falsos mestres: um que leva as pessoas a se desviarem por efetivamente perverterem a graça de Deus em uma licença para a libertinagem (Judas 1:4 NVI); O outro leva as pessoas ao engano através de legalismo, ou seja, através da imposição da observância a lei de Moisés (guardar o sábado, circuncisão, dízimos, cerimônias etc.) e para a observância de doutrinas e preceitos que Deus nunca pretendeu para nós que cremos. Os Gálatas haviam sido vítimas deste segundo tipo de falsos mestres, que os ensinou a serem circuncidados e guardar a lei de Moisés como uma obrigação religiosa. Paulo abordou esta questão deixando claro que tal distanciamento do verdadeiro evangelho significaria o seguinte:

Gálatas 5:2-4
“Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo testifico a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça decaístes.”

Você não pode ser separado de algo, se você nunca foi um só ente com este algo originalmente. Essas pessoas eram verdadeiros crentes, eles eram um com Cristo. No entanto, isso mudaria se eles procurassem a sua justificação por meio da lei. Nesse caso eles seriam separados de Cristo e se afastariam da graça. Portanto é possível ser separado de Cristo e se afastar para longe da graça. Ou seja, é possível estar com Ele hoje mas, não mais pertencer a Ele no futuro, sermos separados Dele devido a uma doutrina pervertida, como é o caso dos Gálatas. Observe também que eles se afastaram da graça. Não é que a graça os expulsaria. Não, eles se afastariam da graça. Portanto, a graça nos detém enquanto quisermos permanecer nela. Mas se alguém quiser, ele pode se afastar da graça.

Além disso, como Paulo testemunha a respeito deles apenas alguns versículos adiante:

Gálatas 5:7
Corríeis bem; quem vos impediu de obedecer a verdade?”

Veja que ele usa o tempo passado: eles corriam bem. Mas pararam de correr daquela forma, não estavam mais correndo. Alguém os prejudicou obviamente, ensinando-os a obedecer a lei e ser circuncidado. Como resultado disto, já não estavam correndo a carreira da mesma maneira. Em vez disso, eles estavam a caminho de serem desviados. Portanto, é possível prosseguir bem na carreira mas depois parar de correr eficazmente e até mesmo se desviar. Ou seja, vaguear para longe do caminho certo e se desviar completamente da corrida da fé que nos é proposta.

Agora a pergunta a ser feita é: se alguém é separado de Cristo, se afastou para longe da graça, ele ainda será salvo? Acredito que a resposta está em Efésios 2:8 e João 15. Se acordo com Efésios a salvação somos salvos pela graça por meio da fé. Se estes Gálatas se afastaram da graça, então eles não mais estariam enquadrados no caso descrito em Efésios 2:8. Mais ainda, de acordo com João 15:6

“Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.”

Quem quer que não esteja em Cristo, ou que esteja separado de Cristo, tem um fim conforme descrito na passagem acima, o que nos diz também em relação aos Gálatas que estavam separados de Cristo.

Para resumir, sim, é possível que um crente seja, por causa da sequência de um engano, separado de Cristo. E isso, como no caso de Gálatas, pode acontecer quando alguém substitui o trabalho de Cristo com a lei e tente alcançar a justiça através dele.

Infelizmente, alguns interpretam erroneamente Gálatas e levam para outra extremidade, dizendo que Deus só se preocupa com nossa fé e as obras não tem tanta importância, como se fé e obras pudessem existir separadamente um do outro. Não é bem assim. Como Lutero afirmou muito corretamente:

“É impossível separar a fé das obras, como é impossível separar o calor e a luz do fogo. ”

Isto é verdade. Não há salvação que não seja unicamente através da fé e não há nenhuma verdadeira fé sem o respectivo fruto, as obras que normalmente devem acompanhá-lo. A “fé” infrutífera não pode salvar, não porque o fruto supostamente nos salvaria, e isso está faltando. Pelo contrário, ele não pode salvar-nos porque uma fé infrutífera não é uma fé verdadeira. Ela é morta, como nos diz Tiago (Tiago 2:26) e tal fé não pode salvar. NÃO há tal salvação! O que há é salvação pela fé, uma fé tamanha que tem que ser mantida até o fim e que deveria ser frutífera, e será, se permanecermos unidos a Cristo. De fato, eu resumiria a mensagem deste livro no texto de Gálata 5:6 que vimos anteriormente.

“Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor.”

Fé, amor, obras (ação). Todas as três caminham juntas e não pensem que alguma delas pode existir separada das demais.

Próxima seção: 2 Timóteo 2:11-13: "se O negarmos também Ele nos negará"

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou