Forasteiros e peregrinos no mundo



1- “Forasteiros e peregrinos no mundo”: a nossa condição neste mundo e a nossa verdadeira casa.

 

Encontramos “forasteiros e peregrinos” em I Pedro 2:11. Aí lemos:

 

I Peter 2:11
“Amados, exorto-vos (peço-vos), como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências da carne, as quais combatem contra a alma;”

 

O Palavra de Deus diz-nos que somos forasteiros e peregrinos neste mundo. Isto significa que este mundo não é a nossa casa. Não pertencemos a este mundo. Para compreender isso melhor vamos ver um exemplo: digamos que embarcaste num avião para um país estrangeiro e desconhecido para ti e, hipoteticamente vais permanecer neste país. Tu és um estrangeiro e um estranho naquele país. Não entendes a língua que as pessoas falam. Não compreendes o que está escrita nos jornais deles. Ligas a TV mas rapidamente desligas porque não compreendes nada. É tudo estranho para ti. Tu és um estrangeiro e um estranho naquele país. A Palavra de Deus diz-nos a mesma coisa acerca da nossa condição na terra. Se, no entanto, e continuando com o mesmo exemplo, começas a falar a mesma língua que se fala no país, ouvires as notícias deles e vires os mesmos programas da TV, falas dos mesmos assuntos que eles e a fazes o mesmo que eles, já não és mais um estranho ou estrangeiro neste país, acabas por estar integrado naquele país e tornas-te parte dele. O mesmo se passa connosco, Cristãos. A Palavra de Deus diz-nos que somos estranhos e estrangeiros neste mundo. Não é suposto que nos conformemos (moldemos) a este mundo, que partilhemos os mesmos interesses do mundo, que nos comportemos da mesma maneira que o mundo se comporta, vimos o que eles vêem, tenhamos a mesma visão e os mesmos interesses que o mundo tem. Somos estranhos e estrangeiros aqui e não estamos aqui para nos conformar, ajustar, condizer, resignar ou integrar neste mundo. (Romanos 12:2) isto é: ter a mesma “forma” que o mundo tem. (é isto o que significa “conforma”). Nós vimos de um outro mundo, de uma outra casa. Onde está essa casa? Aqui estão alguns versículos que respondem a essa questão:

 

Filipenses 3:20
Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo”

 

Colossenses 1:12-13
“dando graças ao Pai que vos fez idóneos para participar da herança dos santos na luz, e que nos tirou do poder das trevas, e nos transportou para o reino do seu Filho amado;”

 

Irmãos e irmãs, nós somos cidadãos dos céus. Lá e não neste mundo é a nossa casa. De facto, já fomos cidadãos deste mundo e do seu reino, o reino da escuridão. Mas já o não somos mais. Fomos libertados deste reino e agora somos cidadãos do Reino do Filho de Deus e como consequência somos estrangeiros e estranhos neste mundo.

 

2. O Problema

É triste mas muitos de nós não se consideram ser assim. Muitos de nós têm investido tanto no mundo e estão tão interessados no que está a acontecer no mundo que, a frase “estrangeiros e estranhos” lhes parece… estranha. Não digo isso para condenar ninguém, mas para afirmar como um facto o que eu vejo. Como a Palavra de Deus diz em Romanos 8:6

 

Romanos 8:6
Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.

 

Seguir Cristo é vida e paz. Se fores Cristão e ainda não sentires a vida e a paz que acompanha a vida em Cristo, se te sentes vazio e fatigado é porque te focalizas nas coisas erradas. Tu estás convencido que segues Cristo da melhor maneira que consegues, mas não como tua primeira prioridade. Outros assuntos apareceram no teu caminho e eles têm implícita ou explicitamente uma prioridade mais alta ou igual para ti. Mais uma vez: não me compreendas mal. Não te critico. Eu apenas realço o que eu verifico ser o caso de muitos Cristãos. Precisamos conhecer o problema e a sua causa para poder aplicar a solução correspondente. Ignorando o problema pensando que “tudo está bem desde façamos o que os outros fazem” (isto é: ir com a corrente) não faz desaparecer o problema. Igualmente permite-me dizer com clareza, que Deus ama todos os seu filhos, independente do seu desempenho. Deus ama-te tanto como ama o Seu Filho Jesus Cristo e isto não tem nada a ver com o teu desempenho. Digo isto porque muitos Cristãos que se sentem vazios e fatigados podem pensar que Deus esteja zangado com eles porque eles não “agem bem”. O amor de Deus por vós, irmãs e irmãos, não depende do vosso desempenho.

 

3.A causa do problema

Voltando à Palavra de Deus. Ela descreve claramente certas coisas que cansam e pesam no coração e tornam a semente da Palavra estéril, infértil, isto é, embora a semente esteja lá não consegue criar os frutos que supostamente deveria produzir. Eis o que o Senhor Jesus disse em Lucas 21:34:

 

Lucas 21:34
Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço.

 

Há certas coisas que causam um grande peso ao nosso coração, isto é, tornam-no pesado e exausto, duro, indiferente e frio. Apesar de muitos de nós não terem problemas com “sofreguidão e embriaguez” (por qualquer forma, estes pecados são condenados pela maioria de Cristãos e frequentemente por não-Cristãos também) que tal “os cuidados (assuntos) da vida”? O que o Senhor nos está aqui a dizer é que os assuntos da vida quotidiana, o “fazer pela vida”, o sobreviver, pode endurecer e tornar pesado o coração se estiveres ansioso; se todo o teu esforço estiver na preocupação de como vais sobreviver hoje; ou se estiveres demasiado ocupado com a vida e seus afazeres.

Para além disso, o Senhor disse na parábola do semeador quanto à terceira categoria de pessoas que ouviram a Palavra:

 

Marcos 4:18-19
Outros ainda são aqueles que foram semeados entre os espinhos; estes são os que ouvem a palavra; mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça doutras coisas, entrando, sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.

 

Como o Senhor torna evidente: as preocupações com os afazeres deste mundo, os afazeres desta vida, mais o engano das riquezas e o prazer noutras coisas são inimigos para a semente da Palavra e tornam-na estéril e sem produzir frutos. Por outras palavras, os afazeres desta vida, as riquezas e os desejos de outras coisas NÃO podem co-existir com a Palavra de Deus no teu coração. Um dos dois tem de ir embora. É um ou outro. Não ambos. Isto também se ajusta com aquilo que Deus diz relacionado com “dinheiro”.

 

Mateus 6:24
Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

 

Não podes servir a dois senhores ao mesmo tempo. Se quiseres seguir Deus, se quiseres vida e paz, se quiseres que a semente da Palavra cresça e dê frutos, então deves libertar-te das preocupações e dos afazeres com o dinheiro e outras coisas porque a Palavra não pode crescer em ti juntamente com estas coisas. Não podes ser um estrangeiro e estranho deste mundo e ao mesmo tempo fazer parte do sistema deste mundo. Não é possível! Se de alguma maneira julgas poder gerir as duas coisas juntas então estás a enganar a ti próprio. Talvez digas: “Oh meu irmão, não compreendes a minha situação!” Eu compreendo te! Eu também tenho um emprego e uma família com 3 crianças pequenas. E, o que escrevo é fruto da minha experiência. Não é apenas conhecimento intelectual para mim. Não posso trabalhar 12 horas diárias e esperar crescer dedicando matinalmente 10 minutos à devoção e ir ao sermão dos Domingos de manhã. Não vai acontecer de forma alguma! Não precisamos só de tempo de qualidade com o Senhor (e vamos ser sinceros: não é possível ter apenas 10 minutos de “qualidade” com o Senhor enquanto nas restantes 16-18 horas que estás acordado a tua mente estiver constantemente ocupada com outras coisas). Também precisamos tempo em quantidade. Precisamos que o ensinamento da Palavra nos alimente. Precisamos de mudar o nosso interesse no mundo para a Palavra. Então o crescimento acontece como acontece aos bebés recém-nascidos ao beber o seu leite. Como diz a Palavra:

 

I Pedro 2:2
desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, a fim de por ele crescerdes para a salvação,

 

Se não beberes do leite da Palavra e, ao contrário te alimentas com o lixo do mundo, não te admires que não cresças e te sintas fraco e exausto. Só a Palavra de Deus pode trazer crescimento.

 

4. A solução

A boa nova é que tudo pode mudar e podemos começar a crescer e dar frutos novamente. Tudo o que é preciso é deixar de nos preocupar com coisas do mundo, dinheiro e outros desejos e começar a focar a nossa atenção em Deus e na Sua Palavra. De facto eu creio que é ao contrário: assim que começares a libertar espaço para Deus e a Sua Palavra perdes o interesse no dinheiro, ambições e assuntos mundanos. Estes interesses vão desaparecer à medida que começares a beber do leite da Palavra de Deus e focares a tua atenção em Deus como tua primeira prioridade. Ao proceder assim, o crescimento, a vida e a paz vão voltar novamente. Precisas saciar-te na Palavra e nos ensinamentos da Palavra, desejando “o leite da palavra” em vez de desejar outras coisas. Porém, para seres capaz de fazer isto talvez precises fazer alguns ajustes. Por exemplo, talvez seja necessário abrandar o trabalho e colocar limites. Deixa-me ser claro aqui: não estou a dizer que o trabalho seja mau. Ao contrário e como diz a Palavra “se alguém não quer trabalhar não coma” (II. Tessalonicenses 3:10). Trabalhar como forma de ganhar o pão não é condenável de maneira nenhuma. De facto é alguma coisa que é muito abençoado. No entanto o que penso ser um problema é - aparte não trabalhar mesmo - trabalhar muito para além do que precisamos para ganhar o pão, ao ponto que não há espaço para mais nada na nossa vida. Isto é: trabalhar é uma bênção mas ser um dependente do trabalho(workaholic) é um problema. Talvez também precises fazer uma melhor gestão do tempo, abdicando do tempo em que vês TV, surfas na Internet ou passatempos em excesso. Se te deslocas para o trabalho precisas encontrar bons ensinamentos da Palavra para ouvir (não falo de ensinamentos religiosos que se auto denominam “Cristãos”, sendo apenas ensinamentos religiosos e sem vida). Este é um site que me alimentou bastante http://www.awmi.net e tem centenas de MP3 gratuitos. Precisas de mudar. E repito, eu vivi aquilo de que estou a falar. Não é apenas conhecimento teórico. Nos dois últimos anos estava de tal forma ocupado que o meu tempo com Deus se resumia a 10 minutos “devocionais” da manhã, entre outras coisas mais. Quando alguém me perguntava “como estás?” eu respondia “ocupado”. O outro lado costumava responder a mesma coisa. Irmãos e irmãs, Isto não é bom. Estar ocupado com afazeres e outras coisas não é bom. Não foi de admirar que, ao terminar o meu contrato de trabalho, me sentisse tão esgotado. Então passei um par de meses sem trabalhar antes de procurar um novo emprego. Durante este período descobri o site do Andrew Wommack a que me referi atrás. Fiquei muito feliz ao ver que continha tantos bons ensinamentos da Palavra de Deus e que todo o material era gratuito (como deveria ser para um site cristão). Muitas coisas aí ensinadas eu já conhecia mas devido à minha “ocupação” elas tinham desaparecido. Eu saciei-me então com a Palavra. Isto mudou realmente a minha vida. A secura desapareceu e na sua vez, a vida, paz e poder voltaram. No meio disso, de forma sobrenatural, Deus arranjou-me um emprego que fica a 100 km do lugar onde vivo. Eu aceitei pela fé, porque Ele disse-me que este emprego era para mim. Questionava-me sobre o tempo de viagem pois precisava diariamente 4 horas para ir e vir do emprego, (o meu último emprego ficava a 1 milha e eu ia a pé!). Mas adivinha: o melhor tempo do dia veio a ser o tempo passado nas viagens de comboio. Eu andava em carruagens meio vazias, abria o meu notebook e escrevia artigos como este ou trabalhava no meu site e ao mesmo tempo continuava a encher-me com o leite da Palavra lendo ou escutando os ensinamentos da Palavra. Ao encher-me com a Palavra, todos os desejos que tinha por outras coisas que tinham absorvido o pouco tempo livre que antes me restava, desapareceram. Realmente sou um homem diferente do que era há um ano atrás e devo isso a Deus e à Sua Palavra. Quero ver uma tal transformação em ti, e é por isso que escrevo este artigo.

Voltamos ao nosso tema: a semente da Palavra que se tornou infértil, um cristão sem produzir frutos é exactamente o contrário daquilo que Deus, declaradamente, deseja de nós. Ele diz:

 

João 15:16
Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça...

 

Nós fomos escolhidos para produzir frutos. Mas como já dissemos, isso não vai acontecer se permitirmos que a semente da Palavra seja sufocada pelos espinhos da riqueza, os desejos de outras coisas e os afazeres desta vida. O Senhor tratou dos assuntos dos afazeres e das riquezas noutros versículos que ainda não vimos. Aqui temos um novo versículo revelador:

 

Lucas 12:15-31
Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, nem quanto ao corpo, pelo que haveis de vestir. Pois a vida é mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário. Considerai os corvos, que não semeiam nem ceifam; não têm despensa nem celeiro; contudo, Deus os alimenta. Quanto mais não valeis vós do que as aves! Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? Porquanto, se não podeis fazer nem as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? Considerai os lírios, como crescem; não trabalham, nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles. Se, pois, Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais vós, homens de pouca fé? Não procureis, pois, o que haveis de comer, ou o que haveis de beber, e não andeis preocupados. Porque a todas estas coisas os povos do mundo procuram; mas vosso Pai sabe que precisais delas. Buscai antes o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas.

 

Não te preocupes com a tua vida, com o que vais comer, com o teu corpo, com o que vais vestir. Deus vai tomar conta de ti, irmão e irmã. Não precisas preocupar-te com tais coisas nem com as riquezas e outras coisas. As pessoas no mundo dão importância a tais coisas. A atenção deles concentra se em como vão ganhar o dia e se isto estiver assegurado pensam em como ficar ricos e como obter mais coisas. Mas nós somos diferentes. Nós pertencemos a um reino distinto. Nós temos o nosso maravilhoso Deus e Pai que toma conta de nós. Para nós, a primeira e maior prioridade não é saber como vamos ganhar a vida, como sobreviver, como enriquecer ou como ter um carro ou casa mais luxuosos. Em vez disso a nossa primeira e maior prioridade é, e deve ser, Deus e o Seu Reino. “Procura o Reino de Deus e todas estas coisas te vão ser dadas” diz a Palavra. Se porém, em vez de estares preocupado com a Palavra continuas preocupado com os afazeres deste mundo, com as riquezas e os desejos de outras coisas, atirando algumas migalhas para Deus (5 minutos de devoção na missa aos Domingos e mais algumas notas para pacificar a tua consciência) então a semente que foi semeada no teu coração vai secar e juntamente com ela tu vais secar também. E isto não deverá acontecer.

Como já dissemos, a preocupação com os afazeres deste mundo tem o mesmo efeito que têm as riquezas e os desejos de outras coisas sobre nós. Realmente não compreendo porque tantos perseguem as riquezas, chamando-as “prosperidade” enquanto a Palavra diz:

 

I Timóteo 6:7-10
Porque nada trouxe para este mundo, e nada podemos daqui levar; tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes. Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

 

Irmão e irmã: tens alimento e vestuário? Se tiveres dá te por satisfeito!! Não precisas mais nada!! Mas se desejas de ser rico, se cobiçares coisas, então estás a entrar numa armadilha. Vais precisar de acumular bens e riquezas. Não és daqui e não vais levá-los contigo. Tu apenas precisas que as tuas necessidades estejam satisfeitas e para tal não precisas preocupar-te. Deus fez-te uma promessa: primeiro procura o Reino de Deus e a sua justiça e o que tu precisas te será dado.

 

5. Conclusão

Resumindo: nós somos estrangeiros e estranhos neste mundo. Este mundo não é a nossa casa como diz uma canção. Somos cidadãos do céu chamados por Deus para ir adiante e produzir frutos. No entanto a Palavra que foi semeada no nosso coração tem um inimigo subtil e mortal que a pode tornar estéril. É chamado “afazeres da vida, perseguir riquezas e desejos de outras coisas”. Muitos de nós estamos preocupados com estas coisas e apesar de ver a secura e a fraqueza como resultado, não as associamos à nossa preocupação com as coisas erradas. Mesmo a igreja não parece condenar isto explicitamente (especialmente a sobrecarga dos afazeres). Por esse motivo muitos Cristãos que enchem a igreja aos Domingos de facto estão secos e fracos uma vez que o problema não está a ser abertamente revelado e a solução não está a ser oferecida. Mas isto não precisa de continuar assim. A vida cristã significa paz e vida. Por favor lembrem-se da alegria, da paz e da vida que tiveram quando começaram a acreditar no Senhor. Tudo isso era suposto permanecer convosco para sempre! E se não estiver convosco pode voltar! A única coisa que precisam de modificar é alterar as preferências e procurar Deus como vossa maior prioridade. Deus e a Sua alegria não mudaram. Vocês mudaram e por isso desapareceu a alegria. Deus não é a variável. Nós somos a variável. Precisamos de ser alimentados com a Palavra, diariamente e com dosagens altas, entregar te à Palavra em vez de te entregares aos afazeres, riquezas e desejos por outras coisas. Então aí a transformação vai acontecer e vai ser muito rápida.

Para terminar este artigo vamos ver Hebreus 11:13. Aí, depois da Palavra falar acerca de alguns santos do Velho Testamento que caminharam em fé, a Palavra diz:

 

Hebreus 11:13-16
“Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Ora, os que tais coisas dizem, mostram que estão buscando uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela donde haviam saído, teriam oportunidade de voltar. Mas agora desejam uma pátria melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus não se envergonha deles, de ser chamado seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade”

 

Nós, tal como eles, somos estrangeiros e estranhos na terra. Para nós como para eles existe um pais natal que é diferente do pais do nosso passaporte. Há uma mansão edificada para nos no céu. Vamos produzir tanto mais frutos quanto for possível nas nossas vidas porque o tempo é escasso (a nossa vida seja ela de 70,80 ou 90 anos, passa muito rapidamente. Se tiver mais que 40 talvez compreenda melhor do que estou a falar). Deixemos que o fim das nossas vidas nos encontre como Paulo, dizendo:

 

II. Timóteo 4:7-8
“Combati o bom combate, acabei a [minha] carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.”

 

E João 14:2-3
“Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.”

 

Anastasios Kioulachoglou

 




 

Forasteiros e peregrinos no mundo (PDF) Edição em PDF