Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Encorajamento do livro de Ester (PDF) Edição em PDF

Encorajamento do livro de Ester

Escrevi um artigo sobre o livro de Ester a muitos anos atrás. Agora é o momento de revisitar este livro maravilhoso com novos discernimentos que adquiri por algumas experiências pessoais adaptadas o que Ester hoje tem a nos dizer. Em primeiro lugar, antes que eu continue, vejamos algumas informações básicas em relação ao livro. O livro de Ester existe em duas versões: a versão curta, oriunda do texto massorético em hebraico e a versão mais extensa oriunda das septuagintas, a tradução do Velho Testamento em grego, feita antes de Cristo. A versão mais extensa é seguida pelas tradições católicas e ortodoxas, enquanto a versão mais curta é seguida pelos protestantes. A diferença entre as duas versões não afeta o cerne da história em si. Ela só acrescenta alguns materiais, como por exemplo o conteúdo das cartas de Artaxerxes ou uma oração de Ester. Neste artigo usaremos a versão mais curta.

O que impressiona quando se lê Ester é que o nome de Deus não aparece no livro. No entanto, Deus está em toda a parte: nós O vemos em cada página do livro, através de Suas ações. E estas ações, feitas disfarçadamente, usando circunstâncias e pessoas anteriormente preparadas pelo Senhor, não é algo que vimos somente em Ester. Vimos isso em outros lugares também, como, por exemplo, na história de José no Egito.

Também tenho visto isso muitas vezes em minha vida e você pode ter visto na sua também. Mas vamos tomar as coisas pelo começo. O livro começa com a rainha Vasti caindo em desgraça (Ester 1) e o rei procurando por uma nova rainha. Então ele encontra uma bela mulher judia chamada Ester, a heroína do livro (Ester 2). Este é o primeiro acontecimento deste livro cheio de acontecimentos. Ester foi educada por seu primo Mardoqueu. Durante a disputa por quem seria a rainha, aconteceu de Mardoqueu estar assentado do lado de fora do palácio do rei e ficar sabendo de uma conspiração, planejada contra o rei. Ele informou Ester sobre isso e ela então informou ao rei em nome de Mardoqueu. Os conspiradores, de fato, foram encontrados e executados. Nada de extraordinário foi feito para honrar Mardoqueu, além de se registrar seus atos para os anais do reino (Ester 2:19-23). Este é o segundo acontecimento, ocorrido antes que leiamos o próximo. Após os dois eventos acima um dia muito ruim veio para Mardoqueu e o povo judeu. Hamã, um homem perverso e arrogante, entra em cena. Hamã recebe as graças do rei e todos se curvam diante dele. Todos, exceto Mardoqueu, que não adoraria ninguém além de Deus. Hamã não consegue aceitar isso. Ele fica cheio de furor contra Mardoqueu e decide exterminá-lo. Mas isso não lhe é suficiente. Ele quer exterminar todo o povo judeu também (Ester 3). Então ele ludibria o rei para assinar a eliminação do povo judeu em certo dia. A ameaça é enorme. O inimigo, sendo o segundo diante do rei, parece invencível. Você já esteve alguma vez em uma posição de luta diante de um inimigo que pareça invencível? O inimigo verdadeiro é sempre Satanás e ele também está por trás de Hamã. Mas este inimigo não aparece frequentemente em pessoa contra você. Ele normalmente se aproxima das pessoas que lhe dão acesso. Você já se encontrou sofrendo injustamente diante de pessoas arrogantes e cheias de orgulho? Você já se perguntou onde Deus está nesses casos? Onde Deus está quando chega a dor, conforme o título de um livro popular? Algumas vezes parece que Ele não está em lugar algum. Mas isso só parece. Porque, retornando ao nosso caso, Deus fizera seu trabalho antes que Hamã aparecesse. Ninguém pega Deus de surpresa. Esteja certo disso. O inimigo com quem você pode estar lidando pode parecer enorme para você, mas não parece assim para Deus. Deus sabia sobre o inimigo antes que este agisse. No caso de Ester, Deus fez dois movimentos estratégicos antes do advento de Hamã. Primeiro foi colocar Ester no trono, e, em segundo, foi ter Mardoqueu testemunhado a conspiração e salvado o rei, sem ter sido honrado por isto. Com estes dois movimentos, Deus protegeu, como veremos, Seu povo, antes da ameaça chegar. Isto não proibiu que a ameaça viesse. Isto não proibiu que as aflições viessem, o trabalho de ter que lidar com uma pessoa má como Hamã. Deus dá liberdade de desejo às pessoas e elas podem atacar o inocente. Isto não significa que elas vencerão, embora assim pareça temporariamente. Quando Hamã conseguiu o decreto para extermínio dos judeus, ele parecia imbatível. Ele estava abaixo somente do rei. Quem poderia resistir a ele? Então, vejamos como toda a coisa ocorreu. Hamã em sua arrogância preparou uma forca para ter Mardoqueu enforcado. (Ester 5:14). Mas Deus estava na jogada. De fato, Ele nunca deixou de estar na jogada. Naquela noite – a noite planejada como a última para Mardoqueu – o rei não pôde dormir. E o que ele fez? O que poderia ser melhor do que ler algumas histórias de seus anais!? Adivinhe qual história surgiu? A história da libertação que Mardoqueu trouxe ao rei e pela qual ele nunca havia sido honrado. A manhã chegou e Hamã correu até o rei para dizer-lhe sobre ter Mardoqueu pendurado na forca que ele preparara (Ester 6:5). Mas o rei começou a falar primeiro, perguntando-lhe o que ele deveria fazer para honrar alguém. Hamã, em sua arrogância, pensou que o rei quisesse honrar a ele. Então ele deu uma extravagante quantia de coisas a serem feitas para se honrar alguém (Ester 6). Imagine seu choque quando ouviu que ele deveria fazer todos estas coisas para Mardoqueu!! Assim, de correndo para enfocar o inocente, ele termina se curvando a ele!! Este é o nosso Deus!! Você consegue ver isso? Já experimentou isso? As pessoas más estão conspirando contra você. Deus não parece estar em lugar algum. Mas só parece que não, porque Ele, na verdade, está em todos os lugares. Pode ser que Ele não apareça claramente desde o começo. Pessoas como Hamã parecem dar o seu jeito. Mas isso só parece. Porque Deus de fato aparece, nas muitas vezes em que pessoas planejam que essa seja para você a última noite. O Deus da libertação, o todo-poderoso e correto Pai aparece e quem fica contra Ele? Assim, Ele apareceu naquela em que se supunha ser a última noite para Mardoqueu, mostrando as cartas que ele já havia preparado a longo tempo atrás. Lembre-se de que ninguém pode ultrapassar Deus. Ninguém o pega de surpresa e os inimigos que você tenha não são exceção para isto. Então, a última noite para Mardoqueu não foi de fato a última! E o próximo dia foi o começo de um fabuloso dia, sendo honrado pelo rei e por seu próprio inimigo.

Mas e o decreto que o rei, sob orientação de Hamã, havia assinado? Isto ainda valia. Além do mais, Hamã era o segundo homem no comando. Então, Deus mostra sua segunda e mais forte cartada, chamada Ester. Ela se tornara uma rainha “neste tempo” (Ester 4:14). Ela foi colocada estrategicamente ali, antes que Hamã aparecesse, de forma que Deus pudesse trazer a salvação através dela para Israel quando Hamã aparecesse. Deus sabe!! Deus cuida!!

E agora era a vez de seu plano se executar totalmente. A rainha decide agir e convida o rei e Hamã para um banquete. Lá ela conta ao rei sobre a conspiração de Hamã. O rei fica furioso com ele, e quando os reis ficavam cheios de fúria naqueles tempos, as notícias não eram boas para aqueles que provocavam a fúria. Hamã começou a implorar por sua vida à rainha, enquanto o rei deixava a sala. Quando o rei voltou e encontrou Hamã prostrado sobre o leito onde Ester estava, pensou que ele estava a assediá-la (Ester 7:8). Então, alguém próximo a ele informou que Hamã estava planejando enforcar Mardoqueu. O rei não precisava mais do que isso. Ele ordenou imediatamente que se enforcasse Hamã na forca que o mesmo preparara para Mardoqueu (Ester 7). Conforme diz a Escritura, o mal cai na armadilha que ele mesmo preparara para o reto. (Provérbios 28:10, Provérbios 26:27). Mardoqueu e os judeus foram salvos triunfantemente. Mas eu quero que você note o padrão: Deus não trabalha em primeiro plano operando milagres para Hamã ou o rei verem. O nome Dele nem foi mencionado na versão hebraica de Ester. Em vez disso, Deus trabalhou na base. E, cara, que trabalho ele fez! Antes que Hamã entrasse em cena, Ele fez Ester rainha e fez Mardoqueu libertar o rei de uma conspiração de ameaça à vida, deixando sua honraria para mais tarde. Quando Hamã apareceu, Ele não evitou que Hamã conspirasse nem perseguisse os judeus, ameaçando até a própria existência dos mesmos. Isto é o que as pessoas chamam de ameaças existenciais. Elas não são simples ameaças. Elas são ameaças pesadas à sua própria existência física, profissional e financeira. Este é o leão que brame de 1 Pedro 5:8. Ele parece invencível, mas não o é. Porque somente um é invencível: o Senhor. Então Hamã poderia conspirar contra os judeus e especialmente contra Mardoqueu. Ele tinha até a forca construída para enforcar Mardoqueu, a ameaça existencial em o seu ponto mais alto. MAS Deus apareceu naquela noite, a última noite, horas antes da execução planejada. Se você estiver sob ataques não pense que Deus o abandonou. Ele está lá observando. Ele sempre fez seu dever e preparação. Não ouça o leão bramindo. Fique em paz para ver a libertação do Senhor. Ela pode até vir no último minuto. Assim Deus apareceu naquela noite, tirando o sono do rei e trazendo os anais corretos a ele, aqueles em que a ação de Mardoqueu e o bem que ele fizera ao rei estavam gravados. Hamã não somente planejava enforcar Mardoqueu, como também queria honrar a si próprio sob comando do rei. Depois ele teve que implorar à rainha por sua vida. Mas era tarde demais. Ele caiu na própria armadilha que preparara para Mardoqueu. Ele morreu desonrado e o mesmo aconteceu a sua família. Sua posição foi dada a outro. A quem? A Mardoqueu.

Tome coragem diante desta história. Como Deus estava operando em Ester desta forma ele opera em sua vida. Ele não lhe deixará nem lhe desamparará (Hebreus 13:5). Ele fez seu dever e ninguém O pegou de surpresa. Não ouça o leão bramir. Contenha-se e espere nEle. Ele certamente virá mesmo que seja o último momento.

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou