Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Atos 16:6-40 (PDF) Edição em PDF

Atos 16:6-40

O livro de Atos é um livro muito prático que mostra como era a vida nas igrejas do primeiro século, bem como a forma que homens de Deus, como Paulo, Pedro, etc andavam com Ele, dando-nos um exemplo muito prático. Este exemplo é registrado em Atos 16, um capítulo dedicado à visita de Paulo a Filipos.

1. Atos 16: 6-10: A decisão de visitar

Começando nossa exploração de Atos 16:6-8, lemos:

Atos 16:6-8
"E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade.”

Se você consultar um mapa, você verá que o que está descrito em quatro linhas aqui foi uma viagem muito longa. Galácia, Frígia e Ásia (Menor) foram três regiões que se sucederam. Paulo e aqueles que o acompanhavam, passaram as duas primeiras regiões (Frígia e Galácia) e chegaram a terceira: Ásia Menor. No entanto, como diz o texto, Deus, o Espírito Santo, os proibiu de pregar a Palavra lá, e assim eles foram para o norte em direção à Mísia. No entanto, quando tentaram sair de lá para Bitínia, Deus os proibiu novamente. Como resultado, eles passaram por Mísia e foram para Trôade, no mar Egeu.

Como fica evidente a partir do acima exposto, Filipos não era um lugar onde Paulo e Silas estavam planejando ir. Na verdade, eles tentaram duas vezes ir para outros lugares, mas Deus os proibiu. A razão pela qual Ele proibiu-lhes não foi por Ele não desejar que Sua Palavra fosse pregada nessas áreas. Na verdade, Paulo foi para a Ásia Menor, algum tempo depois e, como Atos 19:10 nos diz: ". Todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, tanto judeus como gregos" No entanto, todos sabemos que não é possível estar em dois lugares diferentes ao mesmo tempo. Em outras palavras, era impossível que a Palavra fosse pregada simultaneamente pelo mesmo homem na Ásia em Bitínia e em Filipos. Algo necessariamente tinha que vir primeiro e segundo alguma coisa. Como parece, do ponto de vista de Deus, Filipe e Grécia tiveram prioridade ao longo do tempo na Ásia e Bitínia. A partir disso podemos concluir que Deus não está interessado em apenas a pregação da Palavra, mas na pregação da Palavra, onde Ele quer, como Ele quer e quando Ele quiser. Como Efésios 5:23 nos diz:

"Cristo é o cabeça da igreja".

A igreja tem um chefe, alguém que deve ser consultado para as coisas em relação a ela. Não é nem você nem eu, nem qualquer outro homem mortal, mas Cristo. Em relação ao nosso caso, o que o chefe realmente queria está registrado nos versículos 90-10:

Atos 16:9-10
"E uma visão apareceu a Paulo na noite. Um homem da Macedônia se levantou e pediu a ele, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos. Agora, imediatamente depois que ele teve esta visão, procuramos ir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamou para pregar o evangelho para eles. "

Deus não os havia chamado nesse tempo específico, para pregar a Palavra na Ásia e Bitínia. Em vez disso Ele os havia chamado para pregar a Palavra na Macedônia e, finalmente, em todo o lado oriental da Grécia continental. Como é que eles sabem disso? O Senhor comunicou a eles através de uma visão. Na verdade, Ele comunicou a eles de tal forma que eles se reuniram com certeza, sem dúvida, que o Senhor os estava levando para lá. No entanto, você acredita que Deus teria feito isso se eles não estavessem prontos para ir onde Ele queria que eles fossem? Acho que não. Deus não vai obrigar ninguém a trabalhar no seu campo. No entanto, se alguém quiser trabalhar para ele - que é exatamente o que Ele espera de nós1 - ele não deve fazer a sua própria maneira sobre como, quando e onde ele vai passar, mas ele deve consultar o Mestre que é o responsável por decidir sobre isto.

2. Atos 16: 11-40: A visita a Filipos e seus resultados

Tendo claro comando de Deus para navegar para a Macedônia, Paulo e os que o acompanhavam partiram imediatamente. Os versículos 11-12 nos diz:

Atos 16:11-12
"Navegando, pois, de Trôade, fomos em direitura a Samotrácia, e no dia seguinte a Neápolis; e dali para Filipos, que é a primeira cidade desse distrito da Macedônia, e colônia romana; e estivemos alguns dias nessa cidade.”

Deus lhes havia dito para ir para a Macedônia. Então, eles não pararam para pregar a palavra na Samotrácia, mas foram diretamente para Filipos, a cidade mais importante da região da Macedónia. Lá, várias coisas aconteceram como veremos a seguir.

2.1 Lídia: a primeira crente da Europa

A partir de versos 13-15, lemos:

Atos 16:13-15
“No sábado saímos portas afora para a beira do rio, onde julgávamos haver um lugar de oração e, sentados, falávamos às mulheres ali reunidas. E certa mulher chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que temia a Deus, nos escutava e o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia.Depois que foi batizada, ela e a sua casa, rogou-nos, dizendo: Se haveis julgado que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso.”

Lidia reverenciava a Deus? Sim, é isso o que a passagem diz. No entanto, ela era salva? NÃO, pois ela não sabia sobre o Senhor Jesus Cristo. Assim, ela era como Cornelius: um homem devoto, que temia a Deus com toda a sua casa e dava esmolas generosamente. Ele orava a Deus (Atos 10:2). No entanto, ele precisava de Pedro para ir à sua casa e dizer-lhe palavras pelas quais, como o anjo lhe disse, ele e sua família seriam salvos (Atos 11:14). Da mesma forma, Lídia reverenciava a Deus. No entanto, ela precisava de alguém para vir e falar-lhe sobre Jesus Cristo, para que pudesse acreditar e ser salva. E isso é exatamente o que aconteceu: Deus fez com que Paulo viesse todo o caminho da Silícia para pregar a Palavra para ela. Ela acreditou e se tornou a primeira crente registrada na Europa continental. No entanto, este foi apenas o começo.

2.2 A menina endemoniada

Versículos 16-18 nos dizem:

Atos 16: 16-18
"Ora, aconteceu que quando íamos ao lugar de oração, nos veio ao encontro uma jovem que tinha um espírito adivinhador, e que, adivinhando, dava grande lucro a seus senhores. Ela, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: São servos do Deus Altíssimo estes homens que vos anunciam um caminho de salvação. E fazia isto por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou- se e disse ao espírito: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saias dela. E na mesma hora saiu.”

Esta menina, obviamente, tinha um espírito maligno, que através dela, parecia anunciar a Paulo e o que sua equipe estavam fazendo lá. À primeira vista, pode parecer que o que temos aqui é o paradoxo do diabo apoiando o trabalho do Senhor! No entanto, seria possível que algo como isso pudesse acontecer? Acho que não. Como Paulo disse a Elimas, um outro homem possuído pelo diabo:

Atos 13:9-10
"Todavia Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fitando os olhos nele, disse: filho do Diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os caminhos retos do Senhor?

O que diabo está continuamente buscando é: perturbar os retos caminhos do Senhor. Assim, a única razão pela qual ele parecia proclamar, por meio desta menina, as mesmas coisas que Paulo, era exatamente porque ele queria perturbar os retos caminhos do Senhor. Não é realmente difícil entender como ele planejava fazer isso. Basta imaginar o quanto a Palavra que Paulo pregava seria degradada pelo seu acordo com as proclamações desta menina possuída. Para os moradores, ela era, mais uma porta-voz do antigo deus grego Apolo. Sabemos disso a partir de um texto grego antigo que não diz que a menina estava possuída por um espírito de adivinhação, mas que ela tinha "um espírito, um Python". Zodhiates nos2 diz:

"Python era o nome grego dado à serpente ou dragão mitológico que viveu em Pytho sob o Monte Parnaso e guardava o Oráculo de Delfos. O nome tornou-se então o apelido de Apolo, o deus da adivinhação na mitologia grega e, portanto, aplicada a todos os oráculos e espíritos de adivinhação. "

Obviamente, esta menina era considerada pelos moradores como um meio pelo qual Apollo falava. É por isso que o texto diz que ela tinha um espírito, um Python. Além disso, o seu "mais alto Deus", e aquele que os moradores percebiam como tal, não foi o único e verdadeiro Deus, o Pai do Senhor Jesus Cristo3, mas ...... Zeus. Agora é fácil entender a perversão que ela trazia para a pregação de Paulo e o que o adversário queria fazer através dela, não era para anunciar, mas para "perturbar os retos caminhos do Senhor." Felizmente, ele não teve sucesso em seus propósitos.

Realmente, Atos 16:18 nos diz:
"Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saias dela. E ele saiu na mesma hora".

Paulo sabia através da operação de discernimento de espíritos (I Coríntios 12:10) que o que falou através desta menina era um espírito maligno. É por isso que ele se dirigiu diretamente para ele, ordenando que ele fosse, e este imediatamente o fez.

2.3 Uma reunião na prisão tarde da noite

Infelizmente, o livramento dado a esta menina não fez todos felizes. Seus senhores ganhavam muito dinheiro com as obras do espírito enganoso que a possuía, e quando viram que "a esperança do seu lucro" tinha ido embora:

Atos 16:19-24
"Eles prenderam Paulo e Silas, e os arrastaram para o mercado para os governantes e os apresentaram aos magistrados e disse: Estes homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade; E eles pregam costumes que não são legais para nós, sendo Romanos, recebermos ou observarmos. Então a multidão se levantou unida contra eles; os magistrados rasgaram suas roupas, e ordenou que fossem espancados com varas. E depois de os açoitarem, os lançaram na prisão, ordenando ao carcereiro para mantê-los com segurança. Tendo recebido tal ordem, ele colocou-os na prisão interior e lhes prendeu os pés no tronco. "

Depois de tal tribulação, muitos de nós teríamos começou a reclamar a Deus, culpando-o que tinha acontecido. No entanto, murmurando não é o que a Palavra nos diz para fazer em ocasiões semelhantes. Realmente, como I Pedro 4:16 diz:

I Pedro 4:16
"Se alguém sofre como cristão, que ele não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste assunto."

É exatamente isso que Paulo e Silas fez:

Atos 16:25
"Mas à meia-noite Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus, e os prisioneiros os escutavam."

Além do fato de que aqueles dois caras torturados barbaramente, estarem orando e cantando a Deus, perceba também que todos os prisioneiros os ouviam. A palavra "ouvir" nesta passagem, é uma tradução do verbo grego "epakroomai" que não significa simplesmente "ouvir", mas "a ouvir com especial atenção o que é dito4". Veja então o que aconteceu:

Atos 16:26
"E de repente houve um tão grande terremoto que os alicerces do cárcere se moveram, e logo todas as portas se abriram e as cadeias de todos foram soltos."

Para entender a importância do evento acima, vamos por um minuto nos colocar na posição de um desses prisioneiros. Então, vamos supor que você está na prisão ouvindo com especial atenção dois homens torturados que glorificando a Deus e de repente um terremoto acontece que ...... solta suas correntes e abre todas as portas da prisão. Não seria este fenômeno marcante na sua vida para sempre e ser suficiente para fazer você clamar ao Deus de Paulo e de Silas"? Acho que sim. Na verdade, vamos ver a reação imediata de um dos homens que estava lá naquela noite:

Atos 16:27-30
"E o guarda da prisão, despertando do sono, e vendo as portas da prisão abertas, supondo que os presos tivessem fugido, puxou da espada e estava prestes a se matar Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal.: pois estamos todos aqui. Então, ele pediu uma luz, correndo para dentro, e prostrou-se tremendo diante de Paulo e Silas. E trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para ser salvo? "

Como esse homem tinha certeza de que Paulo e Silas eram capazes de lhe dar a resposta certa para uma pergunta tão crítica? A resposta é porque ele os ouviu louvando a Deus e viu como Deus respondeu por meio do terremoto e o que se lhe seguiu. Ele foi, portanto, convencido de que Paulo e Silas representava Deus. É por isso que a primeira coisa que ele lhes perguntou foi o que ele devia fazer para ser salvo. Ele sabia que eles tinham a resposta certa. Vamos agora ver a resposta de Paulo e Silas:

Atos 16:31
"E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa."

Realmente, eu não sei quantas pessoas hoje seria tão simples sobre a salvação como Paulo e Silas foram. "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo". Isso é realmente tudo o que é necessário. Você acredita que é salvo. Você não acredita que não está salvo. Como Romanos 10:9 também nos diz:

Romanos 10:9
"Se você confessar com sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo."

Como é simples! Voltando para o registro do detentor da prisão, depois que Paulo e Silas deu-lhe a resposta que precisava, eles continuaram ensinando-lhe ainda:

Atos 16:32-33
"E pregaram a Palavra do Senhor, a ele e a todos os que estavam em sua casa. E ele na mesma hora da noite levou-os e lavou-lhes os vergões; E imediatamente ele e toda a sua família foram batizados E quando ele os trouxe a sua casa, colocou comida antes deles, e se alegrou, tendo crido em Deus com toda a sua casa ".

Observe o tempo que tudo isso aconteceu. Aconteceu depois da meia noite, pois já era meia-noite quando Paulo e Silas estavam orando e cantando a Deus (versículo 25). Depois da meia noite, portanto, Paulo, Silas, o carcereiro e sua família tiveram uma maravilhosa reunião onde muitas almas foram salvas e se alegraram no Senhor! Quem poderia imaginar que realmente isso poderia acontecer? E ainda assim está na Escritura. No entanto, isso teria ocorrido se a Paulo e Silas, em vez de glorificar a Deus estivessem murmurando sobre sua situação? NÃO. Glorificaram a Deus em seus problemas, e ensiaramo, através de seus louvores e orações, a Palavra para os outros prisioneiros. Deus apoiou a Sua Palavra com um grande sinal que certamente teve um tremendo impacto em todos. Na verdade, o guardião da prisão com toda a sua família, acreditaram naquela noite e tiveram uma grande reunião com Paulo e Silas bem depois da meia-noite! Realmente que bênção é ler tais eventos. E que bênção e cura deve ter sido para Paulo e Silas, depois da tortura que sofreram. No entanto, as bênçãos não pararam por aí. No dia seguinte:

Atos 16:35-40
"Quando amanheceu, os magistrados mandaram quadrilheiros a dizer: Soltai aqueles homens. E o carcereiro transmitiu a Paulo estas palavras, dizendo: Os magistrados mandaram que fosseis soltos; agora, pois, saí e ide em paz. Mas Paulo respondeu-lhes: Açoitaram-nos publicamente sem sermos condenados, sendo cidadãos romanos, e nos lançaram na prisão, e agora encobertamente nos lançam fora? De modo nenhum será assim; mas venham eles mesmos e nos tirem. E os quadrilheiros foram dizer aos magistrados estas palavras, e estes temeram quando ouviram que eles eram romanos; vieram, PEDIRAM-LHE DESCULPAS, tirando-os para fora, rogavam que se retirassem da cidade. Então eles saíram da prisão, entraram em casa de Lídia, e, vendo os irmãos, os confortaram, e partiram."

No final do dia, foram os magistrados que foram humilhados e não Paulo e Silas. Na verdade, eles se IMPLORARAM a Paulo e Silas para se afastarem de sua cidade. No entanto, eles já haviam conseguido criar uma igreja lá. Esta igreja nunca teria sido criado, como muitas outras igrejas na Grécia, se Paulo e seus companheiros não tivessem obedecido a vontade de Deus de ir para a Macedônia, mas tivessem agido de acordo com seus próprios desejos. No entanto, o fato de eles obedecerem a vontade de Deus, não significa que eles não sofreram perseguição. Mas Deus se tornou a perseguição em bem e através dela muitas almas foram salvas, aumentando a igreja naquele lugar e dando um grande livramento e encorajamento ao Seu povo.

Anastasios Kioulachoglou

 



Notas de Rodapé

1. Veja Lucas 10:2

2. Veja Spiros Zodhiates, The complete word study dictionary, AMG publishers, 1992, p.1253.

3. Até então ninguém havia falado aos locais sobre Ele

4. Veja: Dimitrakos: Lexicon of all the Greek language, p. 2,688.