Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Baixe gratuitamente este estudo na versão PDF version, otimizada para seu leitor ebook/ tablet/ desktop ou smartphone Edição em PDF

As advertências do Novo Testamento: Introdução

No livro de Atos 20:26-27 Paulo está falando com os anciãos de Efésios. Fazendo um resumo de seu ministério ele lhes disse:

Atos 20:26-27
“Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque não me esquivei de vos anunciar todo o conselho de Deus.”

Paulo não se acovardou, não se conteve ou omitiu de anunciar irrestritamente aos efésios, e a toda a Igreja, todo o conselho de Deus. Alguém poderia dizer que mais um estudo a respeito da salvação seria realmente redundante, visto que a salvação é primordial e se esperaria que todos já tivéssemos o entendimento correto sobre o tema. Mas eu não acredito que todos tenhamos tal entendimento. E falo por experiência própria: Eu nasci um grego ortodoxo, quando criança frequentei o catecismo, obedeci as liturgias, etc. Contudo, eu já era um adolescente, e nunca havia ouvido falar sobre salvação pela graça através da fé. A ideia que tinha de Deus, até aquele momento, era de uma figura dura, onipotente, esperando que eu cometesse algum erro para me punir. Claro que isto não é verdade e eu descobri isto alguns anos mais tarde, quando estava com 21 anos de idade, quando conheci o Deus amoroso, vivo e verdadeiro. Então, pela primeira vez aprendi que a Bíblia era a verdadeira Palavra de Deus, e também a respeito da salvação pela graça através da fé. Isto foi tão libertador! Deus não era mais uma figura distante. Ele era um Deus verdadeiro, tão real como O via na Bíblia.

O principal ensinamento que recebi foi que, uma vez que homem crê ele é salvo imediatamente, de uma vez por todas, independentemente do que este homem pudesse fazer com sua fé ao longo de sua vida. Entretanto, por mais de duas décadas depois de receber tal ensinamento, eu tive diversos momentos de tentação e provações o que me fez entender que apenas estar na fé não é algo automático, algo que possa ser considerado como dado a alguém no momento que ele acreditou. O que entendi é que a fé é simplesmente uma decisão contínua.

Nesses 25 anos eu tenho visto amigos que eram tão felizes e satisfeitos inicialmente quando lhes pregava a Cristo, empenhados na caminhada, orando e louvando a Deus, etc. E essas mesmas pessoas ficaram zangadas comigo e com Deus, não querendo mais saber de Deus ou ouvir nada a Seu respeito. Por que? Porque uma namorada o havia deixado ou porque um parente teria lhe dito que tudo isto era “heresia”, etc. Porque no momento da tentação e da tribulação, essas pessoas não conseguiram manter-se na Palavra de Deus e segurar sua fé. Eu também vi outros, que embora tenham aceitado a Cristo, foram aos poucos levados pelo amor ao mundo e suas paixões, sufocando a semente da Palavra de Deus, exatamente como descreve a parábola do semeador. Sendo assim, Cristo se tornou para eles algo do qual tinham ouvido falar em um momento de suas vidas, mas o fruto, ou o que Ele produziu em suas vidas, e a diferença que realmente fez, ninguém conseguia mais perceber. Além disso eu me deparei com muitas advertências e aparentes incongruências nas Escrituras que não correspondiam com a doutrina que anunciava que, uma vez que o indivíduo fosse salvo, ele estaria sempre salvo, mesmo que posteriormente, por variadas razões, ele não permanecesse na fé genuína.

Este estudo analisa várias passagens nas Escrituras do Novo Testamento, que deixam claras que a fé é mais uma corrida que se tem que correr até o fim do que um evento único, que uma vez acontecido é garantido para sempre. Permanecer na fé, terminar a corrida, não é nem automático, tampouco garantido para aqueles que iniciaram a corrida. Como os exemplos que dei acima, alguns pulam fora e desistem em face às primeiras dificuldades e tribulações enfrentadas. Outros, têm um forte amor e apego pelas coisas desse mundo e também desistem. Apenas alguns dos que começam a carreira, a corrida da fé, realmente perseveram até o fim. Como veremos a seguir, isto tudo está muito claro no Novo Testamento.

 

Alerta! Porta estreita, caminho difícil pela frente!

Nem todo mundo gosta de estradas difíceis e estreitas, mas segundo aquilo que nos é dito pelo Senhor, fica claro que a Estrada da fé é exatamente assim: um caminho difícil pela porta estreita:

Mateus 7:13-14
“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz a vida, e poucos são os que a encontram.”

Avisos de cuidado e atenção num caminho estreito e difícil são muito importantes para que possamos seguir mais facilmente. E desviarmos deste caminho, em nosso caso, significa seguir por uma estrada que é fácil e ampla, isto é, uma estrada bastante agradável aos nossos cinco sentidos. Quem nunca dirigiu numa estrada estreita e não prestou TODA a atenção aos avisos e alertas? Quem nunca pensou, enquanto seguia, que tais avisos estavam lá apenas para lhe aterrorizar (ao invés de ter como objetivo mantê-lo na estrada)? Ou talvez que os alertas e advertências não fossem relevantes no seu caso, mas se referissem a outros motoristas que já teriam passado por lá? Eu não acredito que nenhum de nós pense ou faça isso. Do mesmo modo, existem muitos avisos e advertências no Novo Testamento e o propósito destes é nos alertar, de maneira que permaneçamos no caminho certo, especialmente porque o caminho certo é também estreito e difícil. Como nós nunca iríamos ignorar os avisos e placas em estradas perigosas, do mesmo modo não devemos ignorar ou desconsiderar os avisos dados na Palavra de Deus sobre as dificuldades do caminho da fé, pois eles estão expressos para o nosso próprio bem. O propósito deste estudo é trazer à luz estes avisos e advertências.

 

Para quem esse livro foi escrito?

Este livro não fala, com exceção do primeiro capítulo sobre as realidades da nova criação, de ter nascido de novo, de ter o Espírito de Deus em você, da realidade de ser um filho de Deus pela fé. Muitos de nós já ouvimos estas verdades. O problema, no entanto, é que talvez tenhamos ouvido sobre estas realidades de maneira desequilibrada, sem ouvir também, ou levar seriamente em consideração, todas as passagens a este respeito, especialmente aquelas relacionadas a este estudo. Contudo, alguns concluíram que estas verdades e a salvação em particular são baseadas no primeiro momento da fé, a partir da qual somos eternamente salvos, não importando o que fazemos da nossa fé após este momento. Este livro é para essas pessoas e nosso principal propósito aqui é equilibrar, focando exclusivamente as advertências do Antigo Testamento, alguns dos desequilíbrios criados pela quase total ignorância destas advertências.

Próxima seção: Salvação: O que é necessário?

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou