A parábola do semeador



É usual, quando queremos enfatizar algo a repeti-la mais de uma vez. Da mesma forma, ainda que tudo o que está na Palavra de Deus seja importante, quando algo é repetido mais de uma vez, ela obviamente tem uma importância especial e atenção especial deve ser dada a ela. Uma dessas passagens multi-repetidas é também a parábola do semeador. Realmente, ao olhar as quatro vezes em que a vida de Jesus Cristo é contada, vemos que esta parábola é repetido três vezes. Vamos, portanto, examiná-la e ver o que é especialmente importante no que Deus quer nos ensinar através dela.

 

1. A parábola

A parábola do semeador é registrada em: Mateus 13:1-8, Marcos 4:1-9 e Lucas 8:4-8. Tomando o registro de Lucas como ponto de partida, lemos.

 

Lucas 8: 4-8
"E, ajuntando-se uma grande multidão, e vindo de todas as cidades ter com ele, disse por parábola: Um semeador saiu a semear a sua semente e, quando semeava, caiu alguma junto do caminho, e foi pisada, e as aves do céu a comeram; E outra caiu sobre pedra e, nascida, secou-se, pois que não tinha umidade; E outra caiu entre espinhos e crescendo com ela os espinhos, a sufocaram; E outra caiu em boa terra, e, nascida, produziu fruto, a cento por um. Dizendo ele estas coisas, clamava: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.”

 

O tempo em que Jesus escolheu para dizer essa parábola, não foi acidental. Realmente, como o versículo 4 nos diz: "E ajuntando-se uma grande multidão, que vinham de várias cidades, ele [quando viu esta multidão] falou por uma parábola ..." Jesus disse esta parábola quando muitas pessoas vinham ter com ele para ouvir a Palavra de Deus. Como veremos, a parábola é sobre a escuta da Palavra. Assim, Jesus, ao dizer essa parábola, queria fazer com que todos os que vinham à ele para ouvir a Palavra, conscientes das escolhas disponíveis.

 

2. "À beira do caminho"

Um olhar sobre a passagem de Lucas acima mostra que a parábola é sobre uma semente que caiu em quatro diferentes tipos de terra, a primeira delas foi "à beira do caminho". Como Lucas 8:5 nos diz:

 

Lucas 8:5
"Um semeador saiu a semear a sua semente: e, quando semeava, uma parte caiu à beira do caminho, e foi pisada e as aves do céu comeram-na."

 

Algumas das sementes que o semeador semeou caiu "à beira do caminho" e, portanto, não floresceu, nem deu qualquer fruta, mas foi pisada e comida pelos pássaros.

A explicação desta parte da parábola é dada alguns versos mais tarde. Assim, em Lucas 8:11-12, lemos:

 

Lucas 8:11-12
"Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus; E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; "

 

Além disso, Mateus 13:19, explicando a mesma parte, diz:

"Quando alguém ouve a palavra do reino, e não a entende, o Maligno vem e arrebata o que foi semeado do seu coração. Isso é, o que foi semeado à beira do caminho."

 

De acordo com as passagens acima, a semente que é semeada é A PALAVRA DE DEUS, ou "a palavra do reino". No entanto, esta Palavra não dá os mesmos resultados em todos os lugares, já que sua fecundidade depende do terreno onde ela cai. Um dos tipos possíveis de solo é também aquele "à beira do caminho", que, de acordo com a interpretação da parábola, são as pessoas que, apesar de ouvirem a Palavra de Deus, "não entendem". O que se entende por "não entender" é algo que veremos a partir do contexto. Realmente, a palavra grega traduzida como "entender" na passagem acima, é o verbo "suniemi" que é usado 6 vezes em Mateus 13, 5 nos quais há relação com nossa parábola. Assim, Mateus 13:13-15 nos diz:

 

Mateus 13:13
".... vendo, não vejam, e ouvindo não ouvem, nem entendem [grego: suniemi]. E neles [nos que vendo não vêem e ouvindo não entendem] a profecia de Isaías é cumprida, que diz: "Ouvindo ouvireis e não entenderão [grego: suniemi], e vendo, vereis e não perceberão; POIS [esta é a razão pela qual eles não entendem o que ouvem] o coração deste povo tornou-se calejado. Seus ouvidos são duros de ouvido, e seus olhos se fecharam. Para que não vejam com os olhos e ouçam com os ouvidos, para que não entendam [grego: suniemi] com seus corações e por sua vez, se convertam, de modo que eu os cure "

 

Enquanto que com os ouvidos se ouve a Palavra, com o coração (a parte interior da mente), a "entendemos". Não é, portanto, uma compreensão mental simples da Palavra da qual a parábola do semeador fala. É antes uma compreensão, uma aceitação da Palavra com o coração, a parte interna da mente. É por isso que o resultado que a semente da Palavra terá dependerá do solo, dos corações daqueles que ouvem a Palavra. A mesma semente caindo em diferentes tipos de solo, isto é, nos corações de qualidade diferente, dá resultados diferentes. Quando o coração está calejado, quando a semente da Palavra cair será o mesmo que cair à beira do caminho. Ele nem vai florescer nem, naturalmente, fornecer qualquer fruto. Como II Coríntios 4:3-4 e Efésios 4:17-19 nos diz:

 

II Coríntios 4:3-4
"Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. "

 

Também Efésios 4:17-19
"E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza. "

 

Há pessoas para quem a Palavra de Deus é "velada" e que não podem "compreender", não porque a Palavra é algo difícil de entender, mas porque seus corações estão calejados, duros, não permitindo qualquer crescimento da semente da Palavra .

No que diz respeito agora a palavra grega traduzida como "cegueira" na passagem acima de Efésios, esta é a palavra "porose" que significa "insensibilidade". É a mesma palavra que é usada em Marcos 3:5 para descrever o coração de um grupo característico de pessoas que tanto perseguiram Jesus: os fariseus:

 

Marcos 3:5
"E quando ele [Jesus Cristo] olhou para eles [isso significa fariseus (Marcos 2:24)] com indignação, se angustiou com a dureza [grego: porosis – insensibilidade] de seus corações ....."

 

Os fariseus tinham o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus diantes deles! Eles ouviram e viram o maior mestre, o maior homem que já passou na face da terra. E ainda assim eles não acreditaram nele. O motivo? Seus corações estavam calejados, ou seja, muito duros e, portanto, inadequados para o recebimento e crescimento da semente da Palavra. Não era a semente, a Palavra, que não era boa mas a terra, os seus corações, que eram duros.

 

3. "Algumas caíram em terreno pedregoso"

Tendo examinado o primeiro tipo de terra onde a semente da Palavra cai, vamos agora avançar para a segunda. Mateus 13:5-6 nos fala sobre isso:

 

Mateus 13:5-6
"E outra parte [sementes] caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. "

 

A semente pode brotar em vários tipos de solo. No entanto, ela não vai sobreviver e dar frutos em todos eles. Um dos solos no qual a semente, apesar de inicialmente surgir, mas no final, não vai sobreviver é o chão pedregoso. A razão pela qual a semente não pode sobreviver lá, é porque as pedras não lhe permitem lançar raízes profundas que são necessárias para encontrar a umidade. Assim, com o primeiro vento definha.

Marcos vai para a explicação desta parte da parábola, onde lemos:

 

Marcos 4:16-17
"E da mesma forma os que recebem a semente sobre pedregais; os quais, ouvindo a palavra, logo com prazer a recebem; Mas não têm raiz em si mesmos, antes são temporãos e aguentam apenas por um tempo; depois, sobrevindo tribulação ou perseguição, por causa da palavra, logo se escandalizam."

 

Como pode ser visto, o terreno pedregoso é composta de pessoas que ouvindo a Palavra, a recebem imediatamente com alegria. No entanto, isso não dura por muito tempo, pois quando as perseguições e aflições surgem, essas pessoas, imediatamente, caem. Como é óbvio, o problema que finalmente as levam a queda é que elas são muito fracas na perseguição e aflição. Assim, quando o diabo traz essas coisas contra eles, elas imediatamente caem. Sua queda não é causada porque a aflição é muito pesada para suportarem, pois em de II Coríntios 4:17, I Coríntios 10:12-13 e I Pedro 5:10 está escrito que a aflição vai ser leve e certamente não maior do que aquilo que podemos suportar (I Coríntios 10:12-13). Em vez disso, ela é causada porque eles não estão dispostos a mostrar, a menor resistência ao diabo (e caem imediatamente como diz o texto). Assim como Tiago 4:7 nos diz:

 

Tiago 4:7
"Portanto, sujeitai-vos a Deus. Resisti ao diabo e [como resultado de sua resistência] ele fugirá de vós."

 

Também I Pedro 5:8-9
diz: "Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo."

 

Se não resistirmos ao diabo, ele não vai fugir de nós. Em contraste, ele devora aqueles que não resistem a ele. Para esta categoria de alimento em potencial do diabo pertencem também as pessoas desta segunda categoria. Quando o diabo vem, trazendo aflições, elas imediatamente caem e tornam-se um alimento fácil para ele. Eles têm um bom começo, mas, infelizmente, um mau fim.

 

4. A terceira categoria

Tendo considerado as duas primeiras categorias de pessoas que ouvem a Palavra, vamos agora avançar para a terceira. Marcos 4:7, nos diz:

 

Marcos 4:7
"E algumas sementes caíram entre os espinhos, e os espinhos cresceram, e sufocaram-na, e não deu fruto"

 

O terceiro tipo de solo é a do chão espinhoso. A semente que cai neste solo é sufocada, não dando assim nenhum fruto. Para entender o que se entende por esta parte da parábola, iremos para Marcos 4:18-19. Ali nós lemos:

 

"E outros são os que recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra; Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera."

 

Infelizmente, esta terceira categoria de pessoas também é problemática. O problema com esta categoria é que a Palavra de Deus é mantida em seus corações, juntamente com outras coisas como "os cuidados deste mundo, a sedução das riquezas e as ambições de outras coisas". Essas coisas, enfim, agem como os espinhos para o crescimento da Palavra, sufocando-a e tornando-a infrutífera. Em contraste com o que as pessoas dessa categoria fazem, Jesus Cristo disse:

 

Mateus 6:25-34
"Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.

 

Primeiro são as coisas do reino de Deus e só então todas as outras coisas. Se aplicarmos este princípio, então todas as outras coisas serão acrescentadas a nós. Se, no entanto, não a aplicarmos, mas na primeira posição, colocarmos os cuidados e outras coisas, então essas outras coisas que sufocam a Palavra, tornando-a infrutífera.

O fio dos cuidados deste mundo, a sedução das riquezas e os desejos de outras coisas é muito grave. No artigo: "A parábola do semeador: e a que caiu entre espinhos" lidamos com cada um destes aspectos em separado.

 

5. "E outra caiu em boa terra"

Até agora temos examinado três tipos de solo no qual a semente da palavra caiu. Infelizmente, nenhum deles foi capaz de fazer a semente fecunda. Assim, o primeiro tipo de solo, que foi "à beira do caminho", foi tão forte que a semente não brotou mesmo. Além disso, o segundo foi o pedregoso, não permitindo a semente lançar raízes profundas. Finalmente, o terceiro foi o solo espinhoso, sufocando a semente e tornando-a infrutífera. Após a analise de três categorias infrutíferas, agora é tempo para ver como a boa terra que dá fruto é. Mateus 13:8 nos fala sobre isso:

 

Mateus 13:8
"E outra caiu em boa terra e deu fruto, um a cem, outro a sessenta e outro a trinta"

 

E aqui está a explicação dada em Mateus 13:23:
"Mas o que foi semeado em boa terra é aquele que ouve a palavra, e entende [grego: suniemi] dá fruto e produz:. Um a cem, outro a sessenta e outro a trinta"

 

Desta vez, a semente não caiu à beira do caminho, ou em um terreno pedregoso, ou entre os espinhos, mas em uma boa terra, nos corações das pessoas que ouvem a Palavra e a compreendem [grego: suniemi]. Como Lucas 8:15 explica esse "entender":

 

Lucas 8:15
"Mas as que cairam em boa terra são aquelas que, caíram em um coração honesto e bom, que tendo ouvido a palavra, a mantém, e dão fruto com perseverança."

 

Como podemos lembrar, a primeira categoria de pessoas não podiam "entender", receber a Palavra em seus corações pois estavam calejadas, rígidas. Em contraste, as pessoas da categoria frutífera entendem a Palavra e a colocam em seu coração bom e honesto. Esta categoria frutífera tem tudo o que as outras três categorias infrutíferas não tem. Assim, na primeira categoria as pessoas tinham corações endurecidos, aqui porém o coração é bom e honesto. Também na segunda categoria o povo não tinha resistência, e caiu imediatamente com a aflição, aqui todavia o povo é paciente (eles "dão fruto com perseverança" como diz o texto) e não desistem. Finalmente, na terceira categoria a Palavra de Deus foi sufocada pelos cuidados diversos e desejos, mas aqui ele é mantida em primeiro lugar nos corações dessas pessoas, não perdendo a sua posição para qualquer outra coisa. Esta é a categoria frutífera. E como Cristo disse em João 15:

 

João 15:1-2, 4-5, 8, 16
"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor Toda vara em mim que não dá fruto ele tira:. E todo ramo que dá fruto, ele limpa, para que dê mais fruto .... Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. ... pois nisso é glorificado meu Pai, que deis muito fruto, assim você vai ser meu discípulo ... vós não me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça: para que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos dê. "

 

Deus limpa toda aquela que dá fruto, para que ela produza mais. Quanto mais frutífero, mais Deus é glorificado.

 

6. Conclusão

Para concluir, portanto: a Palavra de Deus pode ser falada para vários tipos de pessoas. No entanto, os resultados serão diferentes como diferente é a qualidade dos corações que ouvem a Palavra. Assim, alguns vão rejeitá-la, outros irão aceitá-la até a aflição chegar, e os outros vão recebê-la, mas eventualmente iram colocá-la em última posição colocando outras coisas (cuidados, riquezas, outros desejos) sobre ela, e, finalmente, outros vão mantê-la em um coração bom e honesto onde darão frutos. É por isso que Jesus, terminando a interpretação da parábola disse: "Acautelai-vos, como você ouve" (Lucas 8:18). Não é só que se ouve a Palavra, mas também é como ele ouve, pois muitos podem ouvir a Palavra, mas apenas aqueles que a ouvem e a mantém em um coração bom e honesto será frutífera. Que todos nós possamos ser e continuar nesta categoria.

 

Anastasios Kioulachoglou

 

 




 

A parábola do semeador (PDF) Edição em PDF