A eficácia da oração



Uma das coisas que Deus frequentemente fala na Bíblia é sobre a oração. Assim, em I Tessalonicenses 5:17, lemos:

 

I Tessalonicenses 5:17
“Orai sem cessar”

 

I Pedro 4:7
também nos diz: “sede sóbrios e vigiai em oração”

 

E Romanos 12:12
repete: “perseverai na oração”

 

Além das passagens acima - há muitas mais na Palavra1 - que nos dizem para orar e, de fato a orar continuamente, com firmeza e sem cessar, também há outras passagens que esclarecem sobre a eficácia da oração através dos exemplos de pessoas que oraram. É este último tipo de passagem que iremos analisar neste artigo, começando com Atos 12.

 

1. Atos 12:1-16

A partir de Atos 12:1-5a, lemos:

 

Atos 12:1-5a
“E por aquele mesmo tempo o rei Herodes estendeu as mãos sobre alguns da igreja, para os maltratar; E matou à espada Tiago, irmão de João. E, vendo que isso agradara aos judeus, continuou, mandando prender também a Pedro. E eram os dias dos pães ázimos. E, havendo-o prendido, o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da páscoa.”

 

Sobre o Herodes da nossa passagem, ele era o neto do Herodes que perseguiu Jesus quando ele ainda era uma criança (Mateus 2) e “mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo” (Mateus 2:16).

Ele também era um sobrinho de Herodes, “o tetrarca” que decapitou João Batista e “desprezou Jesus e, escarnecendo dele, vestiu-o com uma roupa resplandecente [para zombar mais dele]” (Lucas 23:11) antes de sua crucificação. Parece, portanto, que ele herdou a maldade de seu avô e seu tio, já que ele matou Tiago um dos doze, e vendo que isso agradava aos judeus, ele também prendeu Pedro, com o propósito de apresentá-lo ao povo e depois, obviamente, matá-lo também. No entanto, Herodes não calculou bem, o versículo 5 nos diz:

 

Atos 12:5
“Pedro, pois, era guardado na prisão; MAS a igreja fazia contínua oração por ele a Deus.

 

O rei nomeou muitos homens armados para vigiar Pedro. Ele pensou que desta forma tornaria sua libertação impossível. No entanto, ele não levou em conta o fato de que, apesar de Pedro ser mantido na prisão, a igreja estava orando sem cessar a Deus por ele. Herodes não podia parar isso, e, assim, não conseguia impedir que Deus respondesse as orações. Vamos ver o que aconteceu em seguir:

 

Atos 12:6-7
“Quando Herodes estava para apresentá-lo, naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias, e sentinelas à porta guardavam o cárcere. Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz iluminou a prisão;”

 

Herodes tinha tomado medidas suficientes para impedir Pedro de escapar. Dois guardas estavam à sua direita e em seu lado esquerdo e ele foi preso entre seus guardas com correntes. Onde quer que ele quisesse ir eles tinham que concordar em primeiro lugar! Além disso, como se isso não bastasse, dois outros guardas estavam diante da porta! No entanto, embora Herodes tivesse posto muito poder militar para vigiar Pedro, isso não foi nada em comparação com Deus e SEU poder. Vamos ver o que o Senhor fez:

 

Atos 12:7-11
“E, tocando ele o lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa! Então, as cadeias caíram-lhe das mãos. Disse-lhe o anjo: Cinge-te e calça as sandálias. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Põe a capa e segue-me. Então, saindo, o seguia, não sabendo que era real o que se fazia por meio do anjo; parecia-lhe, antes, uma visão. Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se lhes abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se apartou dele. Então, Pedro, caindo em si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico.”

 

Muitos pensam que para tudo isso acontecer os guardas tinham que estar dormindo. Bem, onde é que a Bíblia diz isso? Lugar nenhum! Pelo contrário, o que a Bíblia diz é que Pedro era o único que estava dormindo - entre os dois guardas - e que os outros guardas diante da porta “guardavam o cárcere”. Quanto a este último, você acha que a Palavra diria que eles estavam guardando o cárcere se eles estivessem dormindo? Eu acho que não, pois que tipo de guarda isso seria? Em todo caso, eu não sei como Deus fez isso, mas eu sei que Ele fez e livrou Pedro “da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico”. Contudo, não vamos esquecer o que causou tudo isso e que é dado no versículo 5:

 

Atos 12:5
“Pedro, pois, estava guardado no cárcere; MAS havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.

 

Veja esse “mas” ali. Isso nos diz a arma usada contra o fato de que Pedro era guardado no cárcere. Esta arma foi a oração. A igreja orava sem cessar e Deus respondeu fazendo o impossível acontecer, derrotando Herodes e seu poder, e livrando Pedro desta aflição.

 

2. II Reis 6:11-22

O exemplo acima não é o único em que vemos Deus libertar grandemente Seu povo em resposta a suas orações. Outro exemplo semelhante está em II Reis 6. Lá encontramos Eliseu, um homem de Deus, através de quem Deus revelou os planos dos sírios ao rei de Israel. Devido a isso, o rei da Síria estava muito perturbado e convocou um conselho para lidar com este problema. Os versículos 11-12 nos dizem:

 

II Reis 6:11-12
“Então, tendo-se turbado com este incidente o coração do rei da Síria, chamou ele os seus servos e lhes disse: Não me fareis saber quem dos nossos é pelo rei de Israel? Respondeu um dos seus servos: Ninguém, ó rei, meu senhor; mas o profeta Eliseu, que está em Israel, faz saber ao rei de Israel as palavras que falas na tua câmara de dormir.”

 

Qualquer coisa que o rei da Síria, dizia e planejava, Deus revelava a Eliseu, que depois revelou ao rei de Israel. Em seguida, os versículos 13-15 nos dizem:

 

II Reis 6:13-14
“Ele disse: Ide e vede onde ele está, para que eu mande prendê-lo. Foi-lhe dito: Eis que está em Dotã. Então, enviou para lá cavalos, carros e fortes tropas; chegaram de noite e cercaram a cidade.”

 

Veja o padrão semelhante de pensamento deste rei e Herodes: ambos tentaram capturar e prejudicar os homens de Deus usando grande poder militar. Assim, o rei da Síria enviou “cavalos, carros e fortes tropas” contra Eliseu, enquanto Herodes entregou a Pedro para dezesseis pessoas para guardá-lo. Tanto Herodes como o rei da Síria pensaram que eles tinham tomado todas as medidas físicas para garantir o sucesso dos seus planos. No entanto, ambos deixaram Deus e SUAS medidas fora da equação e ambos falharam terrivelmente. Vimos isso na seção anterior sobre Herodes e vamos ver nesta seção sobre o rei da Síria também. Os versículos 15-16 nos dizem:

 

II Reis 6:15-16
“E o servo do homem de Deus se levantou muito cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu servo lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos? E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.”

 

A resposta de Eliseu para o seu servo mostra que, ou esse servo tinha um problema de vista e não podia ver aqueles que estavam com eles, ou Eliseu estava errado. Como veremos a primeira assertiva foi o caso nesta questão. A razão não é porque o servo tinha um problema com a sua visão física, mas porque ele usou a visão física apenas. No entanto, esta não é a única visão que se pode ter. Realmente, além da imagem física de uma situação pode haver também uma imagem espiritual que se ignorada então as conclusões posteriores não serão confiáveis. Evidentemente, este servo tinha ignorado essa dimensão espiritual e agora tinha de levar isso em conta. O versículo 17 nos diz como isso aconteceu:

 

II Reis 6:17
“E orou Eliseu, e disse: Senhor , peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.”

 

Eliseu orou e o Senhor respondeu sua oração, fazendo o que ele pediu e abriu os olhos deste servo para que tivesse uma visão espiritual da situação. No entanto, algo mais precisava ser feito para cuidar dos sírios. Vimos no início da passagem como foi dito ao rei sobre ele e onde exatamente ele estava. Portanto, o exército sírio sabia exatamente quem eles estavam procurando. Como Eliseu enfrentou isso? Os versículos 18-20 nos dizem:

 

II Reis 6:18-20
“E, como desceram a ele, Eliseu orou ao Senhor e disse: Fere, peço-te, esta gente de cegueira. E feriu-a de cegueira, conforme a palavra de Eliseu. Então Eliseu lhes disse: Não é este o caminho, nem é esta a cidade; segui-me, e guiar-vos-ei ao homem que buscais. E os guiou a Samaria. E sucedeu que, chegando eles a Samaria, disse Eliseu: O Senhor , abre a estes os olhos para que vejam. O Senhor lhes abriu os olhos, para que vissem, e eis que estavam no meio de Samaria.”

 

Como parece que o Senhor não só abre os olhos para ver o espiritual e fisicamente invisível, mas Ele também fecha os olhos para não ver o que é fisicamente visto! Os sírios sabiam exatamente quem eles estavam procurando. No entanto, ele estava diante de seus olhos e eles não puderam vê-lo!! E não só isso, mas eles acabaram em Samaria, a capital do inimigo deles! Como tudo isso aconteceu? Eliseu orou ao Senhor e feriu os sírios com cegueira abrindo seus olhos somente quando eles chegaram à Samaria e só depois Eliseu orou por isso! Os versículos 21-23 nos dizem o que aconteceu depois que eles cairam nas mãos do rei de Israel.

 

II Reis 6:21-24
“E, quando o rei de Israel os viu, disse a Eliseu: Feri-los-ei, feri-los-ei, meu pai? Mas ele disse: Não os ferirás; feririas tu os que tomasses prisioneiros com a tua espada e com o teu arco? Põe-lhes diante pão e água, para que comam e bebam, e se vão para seu senhor. E apresentou-lhes um grande banquete, e comeram e beberam; e os despediu e foram para seu senhor; e não entraram mais tropas de sírios na terra de Israel.”

 

Resumindo, portanto: um grande exército veio contra Eliseu. Em resposta, depois que ele avaliou a situação espiritualmente, ele orou e o Senhor os feriu com cegueira. Então, depois que ele os levou para Samaria, a capital de Israel, ele orou novamente e o Senhor lhes abriu os olhos e viram onde estavam. Quem fez todas estas grandes coisas? O Senhor. Como o Senhor era solicitado para fazer estas coisas? Pela oração de Eliseu. É por isso que a Palavra diz: “Eliseu OROU e O Senhor .....” agiu em conformidade.

 

3. Mais exemplos de orações respondidas

Os casos acima não são os únicos de oração eficaz.

 

3.1 Samuel e João Batista

Na verdade, Samuel um grande homem de Deus foi uma resposta à oração de sua mãe. Como, I Samuel 1:10-11 nos diz:

 

I Samuel 1:10-11
“Ela [Hannah, mãe de Samuel], pois, com amargura de alma, orou ao Senhor , e chorou abundantemente. E fez um voto, dizendo: Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.”

 

Hannah estava em aflição. O que ela fez? Ela orou, que é também o que Tiago 5:13 nos sugere para tais casos. Na verdade, lá nós lemos:

 

Tiago 5:13
“Está alguém entre vós aflito? Ore.

 

Hannah estava aflita, ela orou e só temos que ir ao versículo 20 do mesmo capítulo para ver o que aconteceu como resultado. Lá nós lemos:

 

I Samuel 1:20
“E sucedeu que, passado algum tempo, Ana concebeu, e deu à luz um filho, ao qual chamou Samuel2; porque, dizia ela, o tenho pedido ao Senhor.

 

Samuel foi pedido ao Senhor. Seu próprio nome declara que ele foi resposta de oração.

No entanto, ele não foi o único que foi resposta a uma oração. O mesmo aconteceu com João Batista também. Na verdade, quando o anjo apareceu ao pai de João, Zacarias, disse-lhe:

 

Lucas 1:13
““Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João.”

 

O nascimento de João Batista foi a resposta para a oração de seu pai, Zacarias - e do cumprimento das profecias correspondente em relação a sua vinda como o precursor do Senhor Jesus Cristo (Malaquias 4:5-6, Lucas 1:15-17 ) - exatamente como o nascimento de Samuel foi a resposta à oração de sua mãe.

 

3.2 O caso de Cornélio

Avançando, todos nós provavelmente conhecemos Cornélio, o centurião gentio, em cuja casa foi pela primeira vez confirmado que “até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida” (Atos 11:18). No entanto, você sabe como isso aconteceu e Pedro foi em sua casa para falar da Palavra a ele? Atos 10:3-6 nos diz:

 

Atos 10:3-6
““Este [Cornélio], quase à hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio. O qual, fixando os olhos nele, e muito atemorizado, disse: Que é, Senhor? E disse-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus; Agora, pois, envia homens a Jope, e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro...”

 

Pedro não foi lá acidentalmente. Ele teve uma visão sobre isso (Atos 10:9-20), e respondeu positivamente ao convite do centurião. No entanto, veja o que o anjo disse a Cornélio quando ele apareceu: “As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus.” As orações de Cornélio foram ouvidas por Deus.

Como resultado foi-lhe dito para mandar buscar Pedro que, como o anjo lhe disse, “te dirá palavras com que te salves, tu e toda a tua casa” (Atos 11:14). E na verdade, enquanto Pedro estava falando aos “muitos que ali se haviam ajuntado” (Atos 10:27) na casa de Cornélio “o Espírito Santo veio sobre todos os que ouviam a palavra..... Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a Deus (Atos 10:44, 46). Cornélio orou, o Senhor respondeu, e muitos foram salvos, também manifestando o Espírito Santo através do falar em línguas.

 

3.3 Atos 4:24-31

Ficando em Atos, outro exemplo do poder da oração está no capítulo 4, versículos 24-31. Pedro e João tinham acabado de ser libertados da prisão, onde tinham sido atirados, porque eles estavam ensinando a ressurreição (Atos 4:2), fazendo também grandes milagres em nome de Jesus (Atos 3:1-7). Após a libertação, eles foram para os crentes e lhes disseram o que tinha acontecido. O que então os discípulos fizeram? Eles oraram. Na verdade, os versículos 24, 29-30 nos dizem:

 

Atos 4:24, 29-30
“E, ouvindo eles isto, unânimes levantaram a voz a Deus, e disseram: Senhor, tu és o Deus que fizeste o céu, e a terra, e o mar e tudo o que neles há... Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra; Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.”

 

Eles oraram para fazer exatamente o que incomodava as autoridades (Atos 4:18), ou seja, falar a Palavra com ousadia e fazer sinais e milagres em nome de Jesus. O que se seguiu as orações? O versículo 31 nos diz:

 

Atos 4:31
““E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus.

 

Eles oraram para falar a Palavra de Deus com ousadia e adivinhem: eles falaram a Palavra de Deus com ousadia.

 

4. Conclusão

Para concluir, portanto: neste artigo analisamos a eficácia da oração, pois é demonstrada através dos vários registros da Escritura. Em todos os casos, vimos como Deus foi movido poderosamente, respondendo as orações do seu povo e suprindo suas necessidades. Isto, obviamente, não é algo que costumava acontecer só naquela época. Na verdade, Deus é movido da mesma forma hoje, provendo com sua abundância e sabedoria tudo o que Lhe pedimos em oração e que está em harmonia com a Sua vontade. Como I João 5:14 nos diz:

 

I João 5:14
““E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.”

 

Deus nos ouve quando oramos a ele. Como Provérbios 15:8 nos diz, a nossa oração é “o seu contentamento”. Ele espera por isso desejando obtê-la e torná-la uma realidade, se, claro for de acordo com Sua vontade. Se esta condição for cumprida, então nada pode detê-lo para lhe responder o que quer que isso pode exigir.

 

Anastasios Kioulachoglou

 



Notas de Rodapé

1. As palavras “oração” e “orar”, aparecem várias vezes na Bíblia.

2. Significa “ouvido por Deus”.




 

A eficácia da oração (PDF) Edição em PDF