Verdades Bíblicas
Inscreva-se

Baixe gratuitamente este estudo na versão PDF version, otimizada para seu leitor ebook/ tablet/ desktop ou smartphone Edição em PDF

"Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado."

Eu deixei para o final duas das mais “pesadas” passagens e que são bem similares: 2 Pedro 2 e Judas. Comecemos por 2 Pedro. Esta carta tem três capítulos. O maior deles é voltado à descrição de pessoas bem perigosas em relação ao tópico que estamos abordando aqui. Já vimos partes deste capítulos em seções anteriores. Leiamos agora a maior parte dele:

2 Pedro 2:1-19
“E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios; E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas); Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados; Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades; Enquanto os anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor. Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção, Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco; Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição; Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaäo, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça; Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta. Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva. Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro, Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo.”

Muitos não aceitam a ideia de que as pessoas às quais o texto se refere sejam crentes. E de fato, até aqui alguém possa dizer que, talvez, não esteja 100% certo se as pessoas às quais Pedro se refere sejam Cristãs ou não, embora haja algumas indicações. “Eles negaram o Senhor que os resgatou.” Também lemos: “deixando o caminho direito, eles se foram.” Como pode alguém abandonar o caminho direito se ele não esteve nesse caminho? Portanto, os versículos que seguem de 2 Pedro não deixa dúvida que essas pessoas eram, de fato, convertidas e que em certo momento se voltaram, retornando às corrupções do mundo.

2 Pedro 2:20-22
“Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.”

Que essas pessoas eram crentes é óbvio a partir dos seguintes fatos:

i) eles escaparam das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo. Está falando aqui de conhecer o Senhor, e não se pode conhecê-Lo sem fé. Mesmo como crentes, conhecer Jesus é objetivo principal e não algo que acontece automaticamente.

Que essas pessoas eram da família dos crentes com um conhecimento pessoal do Senhor é inegável por causa do uso da palavra grega “epignosis.” Esta palavra não significa conhecimento puro e simples. Ao contrário, significa um conhecimento preciso que seja aplicado na prática. Aqui está como o dicionário do Vine define esta palavra:

Epignosis: significa “conhecimento exato ou pleno”, discernimento, reconhecimento. Expressando um “conhecimento” maior ou pleno, uma maior participação do “conhecedor” no objeto “conhecido”, portanto, mais fortemente influenciando-o. (ênfase adicionada).

Epignosis é a forma substantiva do verbo “epignosko.” Sobre este verbo o dicionário Vine nos diz:

“Significa “observar”, perceber totalmente, aviso com atenção, discernir, reconhecer e sugere geralmente uma diretiva, um reconhecimento mais especial do objeto conhecido do que (ginosko), pode igualmente sugerir o “conhecimento” avançado ou apreço especial. Assim em Romanos 1:32 “Os quais, conhecendo a justiça de Deus” (epiginosko) significa conhecê-lo por completo e muito bem, enquanto que em Rom 1:21 “conhecer a Deus” (ginosko), simplesmente sugere de eles não podem evitar a percepção. Às vezes, epinosko implica uma participação especial no objeto “conhecido”, e dá maior peso ao que está afirmado em João 8:3, “conhecereis a verdade”, ginosko é usado aqui, enquanto que em 1 Tim 4:3: “e para os que conhecem a verdade, ”epiginosko enfatiza mais a participação na verdade.”(grifo adicionado).

Um descrente pode ouvir a respeito de Deus, mas se Sua palavra não penetra em seu coração não o levará ao verdadeiro conhecimento de Jesus Cristo, deixa apenas plenas percepções como no significado da palavra “epignosis.”

Só para registrar, aqui estão outros exemplos onde a palavra “epignosis” é usada em conexão com o conhecimento de Deus e do Senhor Jesus Cristo.

Efésios 4:11-14
“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento (epignosis) do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.”

Efésios 1:17
“Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento (epignosis) o espírito de sabedoria e de revelação.”

Colossenses 1:9-10
“Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento (epiginosko) da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento (epignosis) de Deus;

Colossenses 2:1-2
“Porque quero que saibais quão grande combate tenho por vós, e pelos que estão em Laodicéia, e por quantos não viram o meu rosto em carne; para que os seus corações sejam consolados, e estejam unidos em amor, e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento (epiginosis) do mistério de Deus Pai, que é Cristo.”

Colossenses 3:9-10
“Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento (epiginosis), segundo a imagem daquele que o criou;”

2 Timóteo 2:24-25
“E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem (epiginosis) a verdade,”

Eu penso que, seriamente, não podemos apoiar a ideia de que qualquer uma dessas passagens sobre conhecer (epiginosis) Deus e Seus filho pudesse ser aplicado aos infiéis. Pergunto-me então, por que alguns se opõe tão ferozmente que essas pessoas citadas em 2 Pedro eram crentes, quando está escrito claramente na Palavra que eles voltaram às corrupções do mundo, após terem escapados através do “conhecimento (epiginosis) do Senhor e Salvador Jesus Cristo, este mesmo conhecimento que é o centro de oração de todos nós, os crentes? Eu instruiria a todos nós que, ao invés de lutarmos contra o que está claramente escrito na Palavra de Deus, a fim de apoiarmos doutrinas queridas, que podemos ter, submeter-se à Palavra aceitando-a como crianças pequenas, especialmente porque a Ele, a Palavra viva de Deus, que um dia iremos prestar contas.

ii) Que essas pessoas às quais 2 Pedro se refere eram crentes está óbvio pelo fato que, “os santos mandamentos foram entregues a eles.” Poderia um Santo mandamento ser entregue a um ímpio? Acho que não. Ao falar sobre mandamentos me traz à mente o que Paulo disse a Timóteo.

1 Timóteo 6:12-14
“Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. Mando-te diante de Deus, que todas as coisas vivifica, e de Cristo Jesus, que diante de Pôncio Pilatos deu o testemunho de boa confissão, Que guardes este mandamento sem mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo; A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores”

Realmente, por que Paulo exigiria de Timóteo guardar o mandamento sem mácula, se fosse impossível manchá-la?

De volta àquelas pessoas citadas em 2 Pedro: eles eram destinatários do “santo mandamento” do qual em um sentido amplo eu recorro à Palavra de Deus para dizer o que ele nos manda. Por exemplo, em 1 João 3:23 nos diz:

“E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento.”

Além disso, essas pessoas também conheceram o caminho da justiça. Mais uma vez a palavra “conhecer” é uma tradução da palavra grega “epigninosko” ou seja, não é um conhecimento simples que se destina, mas sim um profundo e bom conhecimento do caminho da justiça. Poderia isso realmente acontecer a pessoas que não são crentes? Eu penso que não. O que eu acredito, e que os fatos dizem muito claramente, é que essas pessoas pertenciam originalmente à família dos crentes, mas depois eles apostataram da fé. Apostatar significa pertencer a algum lugar e depois traí-lo, voltando-se, afastando-se dele. Tais apóstatas foram também as de 2 Pedro 2.

Qual será o fim dessas pessoas? A resposta está nas linhas seguintes de 2 Pedro 2.

Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado;”

e

”..trazendo sobre si mesmos repentina perdição.”

 

Próxima seção: Judas 4: "Transformam a graça de nosso Deus em libertinagem" - um alerta muito relevante

 

Autor: Anastasios Kioulachoglou